Home care: serviços dependem da necessidade do paciente

Critérios avaliados são a necessidade de suporte terapêutico, realização de quimioterapia, necessidade de suporte ventilatório, presença de lesão vascular ou cutânea, grau de dependência na realização de atividades pessoais básicas diárias, capacidade de locomoção e a necessidade de terapias seriadas como fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia.
31/12/2020 00:00

Para entrar em internação em home care, o paciente precisa atingir um mínimo de critérios previstos na Tabela de Avaliação da Associação Brasileira das Empresas de Medicina Domiciliar (Abemid), usada como referência na maioria dos planos de saúde. A tabela mostra se o caso é de cuidados gerais, que devem ser feitos pelos familiares ou rede de apoio, ou cuidados técnicos e internação, que necessitam de assistência técnica domiciliar.

A tabela Abemid é uma escala que, baseada em critérios técnicos, estabelece uma pontuação que determina a necessidade ou não de internação domiciliar e o grau de complexidade necessário. Os critérios avaliados são a necessidade de suporte terapêutico, realização de quimioterapia, necessidade de suporte ventilatório, presença de lesão vascular ou cutânea, grau de dependência na realização de atividades pessoais básicas diárias, capacidade ou não de locomoção e a necessidade de terapias seriadas como fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e outras.

Cada uma dessas informações corresponde a uma pontuação específica que, ao final, permite ao avaliador determinar, com base no número de pontos obtidos, se há indicação técnica para internação domiciliar e o nível de assistência e cuidado indicado para a situação específica, sendo:

  • Até 7 pontos: Não elegível para internação domiciliar

  • De 8 a 12 pontos: Elegível para internação de baixa complexidade (6 horas de enfermagem)

  • De 13 a 18 pontos: Elegível para internação de média complexidade (12 horas de enfermagem)

  • 19 pontos ou mais: Elegível para internação de alta complexidade (24 horas de enfermagem)

Quando o paciente não precisa da complexidade do home care, mas requer algum cuidado técnico, o SIS fornece uma ajuda de custo, via reembolso, para o pagamento de técnico de enfermagem sem internação domiciliar e de cuidador. De acordo com a coordenadora de autorização em exercício do SIS, Joelma Nunes, o reembolso para técnicos de enfermagem que auxiliam pessoas dependentes para atividades básicas da vida diária é de R$ 90,00 a cada 12 horas. Já pelo cuidador treinado para auxiliar a pessoa em sua alimentação, higiene, medicação oral ou movimentação o SIS pode reembolsar R$ 40,00 a cada 12 horas.

– É um diferencial do SIS. Entendemos que ambas modalidades são um apoio e suporte na busca da recuperação ou reabilitação do beneficiário e manutenção de sua integridade como um todo – acrescenta.

Para ter direito ao reembolso, o credenciado deve solicitar uma autorização prévia mediante relatório médico atualizado e formulário de requerimento disponível na intranet. Os documentos podem ser cadastrados no Sigad e tramitado a Coordenação de Autorização do SIS – COASIS ou encaminhados ao Serviço de Atendimento a Beneficiários – SEABEN pelo e-mail seaben@senado.leg.br. Após análise o beneficiário é informado por meio de e-mail e/ou telefone.

Serviços

A principal diferença entre os pedidos de home care feitos ao Saúde Caixa e o SIS é o prazo para análise da solicitação. Enquanto o Saúde Caixa demanda até 21 dias para responder, seguindo o prazo estipulado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o SIS emite parecer em até dez dias úteis, sendo que normalmente não chega ao tempo máximo de resposta. Outra vantagem é a comunicação mais fluida entre o beneficiário e o SIS, que pode se dar pelo telefone 3303-5000 ou pelo e-mail coasis@senado.leg.br.

– Para atendimento direto com o SIS, deve-se buscar primeiramente o SIS para autorização prévia, já para atendimento via Saúde Caixa o primeiro contato é com o prestador (clínica de assistência domiciliar) credenciado, diferencia a coordenadora de autorização.

Entre os dois serviços, o SIS aconselha sempre como primeira opção a rede direta de credenciados, que atualmente tem três empresas de home care. Veja as opções (ordem alfabética) :

  • Ágape Assistência Domiciliar: (61) 3234-6053

  • Geroclinica Assistência Domiciliar Geriátrica: (61) 3347-0340

  • Indoor home care: (61) 3037-3444