Problemas no fígado podem evoluir de maneira silenciosa

O órgão não tem nervos, portanto não gera dor quando é atacado. Embora resista bem a maus hábitos, ele precisa de cuidados.
07/11/2022 10:20

Exagerou na cerveja no fim de semana e agora está com aquela ressaca? Em geral, é o estômago que reclama de excessos assim – com as dores abdominais e enjoos. Mas saiba que, nessas situações, é o seu fígado que está mais sobrecarregado, trabalhando firme e silenciosamente para trazer de volta o seu bem-estar.

Tudo que se ingere, seja alimento, bebida, remédio ou mesmo uma droga é metabolizado pelo fígado. Significa dizer que, depois de digeridas pelo estômago e absorvidas pelo intestino delgado, as substâncias são transformadas no fígado. As benéficas são convertidas, por exemplo, em nutrientes. Já as prejudiciais, são inativadas e eliminadas.

Nesse contexto, o álcool é o principal vilão e está relacionado a boa parte das doenças do fígado. O órgão é responsável por produzir a enzima que metaboliza o álcool e que permite, ao final do processo, a eliminação dessa substância tóxica através da urina.

A médica gastroenterologista e hepatologista Carmem Alves Pereira, do Hospital de Base de Brasília, explica que a história de que cerveja não faz mal como o uísque, por exemplo, é mito.

– Uma lata de cerveja de 300 ml tem 13 g de álcool e uma dose de destilado tem 20 g. Os prejuízos começam a acontecer quando o volume de álcool ingerido é maior do que o fígado consegue metabolizar – explica.

E ela alerta: a produção dessa enzima nas mulheres é menor, então elas são mais suscetíveis a esses danos.

Fatos

O órgão tem grande capacidade de regeneração, tanto que, em alguns casos, é possível doar parte dele em vida para alguém que necessite de transplante. Nesse caso, o fígado saudável do doador volta posteriormente ao tamanho original.

Outra característica interessante é que não há nervos no fígado, por isso não há dor associada a esse órgão. Isso ajuda a explicar por que os problemas hepáticos muitas vezes evoluem de maneira silenciosa ao longo do tempo. Quando há um sintoma, em geral, o quadro já está agravado.

Doenças

A hepatite é a inflamação do fígado e pode ter origem viral. As hepatites A, D e E se manifestam em quadro agudo. As do tipo B e C são crônicas, mas o tratamento atualmente já conta com medicações eficazes. Assim como os vírus, o abuso de álcool e drogas também pode causar o problema.

Ela também adverte para o uso de medicações sem conhecimento médico.

– É um erro pensar que medicamentos naturais e suplementos alimentares não podem trazer problemas. Eles podem causar toxicidade hepática, assim como medicamentos em geral usados sem orientação profissional, a exemplo dos antiinflamatórios – esclarece a médica.

Outra condição que causa inflamação no fígado é o acúmulo de gordura no órgão, relacionado à má alimentação, obesidade e consumo excessivo de álcool, entre outros. É a chamada esteatose hepática. Indivíduos que têm síndrome metabólica, que é a associação de diabetes, hipertensão e obesidade, são mais propensos.

– Mas é importante dizer que pessoas magras também podem apresentar esse quadro em função de colesterol alto por herança familiar ou acúmulo de gordura abdominal ­–  completa  Carmem.

Em um quadro de inflamação, o tecido sadio do fígado é substituído por um tecido fibroso, que dificulta a irrigação sanguínea e compromete o funcionamento do órgão. Ao longo do tempo, o fígado se torna progressivamente menor, mais rígido e perde a capacidade de regeneração. Esse grave comprometimento caracteriza a cirrose, uma condição, em geral, irreversível. Em situação extrema, ela leva à insuficiência hepática.

– O fígado ainda consegue se recuperar quando a fibrose está em estágio inicial e não há complicações maiores. Nesses casos, é preciso, por exemplo, tratar a hepatite viral logo no início, tratar a obesidade por meio do controle de peso, cessar o álcool. Mas é difícil se recuperar da cirrose em estágio avançado, em geral é necessário um transplante – complementa a hepatologista.

Prevenção

Aqui valem os conselhos gerais que envolvem um estilo de vida saudável. Entre eles, ter uma alimentação balanceada, consumir álcool de forma comedida e praticar atividade física regularmente.

De acordo com a médica, o mínimo recomendado é de 150 minutos de atividade física por semana, sendo que 300 minutos seriam o ideal. O exercício físico retira do corpo a gordura visceral e ajuda a controlar diabetes e hipertensão.

– Se existe um caminho para envelhecer bem é o da atividade física. Além disso, também é importante ter um sono reparador. Quando se dorme bem, todos os órgãos funcionam melhor e inclusive se perde peso mais facilmente – aconselha a médica.

Funções do fígado

Além de atuar na desintoxicação do corpo, o fígado:

- produz bile, necessária para a digestão de gorduras;

- remove o excesso de glicose do sangue e mantém a glicemia entre as refeições;

- produz proteínas que participam de funções como a regulação do volume de sangue no corpo e a coagulação sanguínea;

- produz e metaboliza colesterol, essencial para a produção de hormônios como testosterona e estrogênio;

- armazena as vitaminas A, B12, D, E e K e também e minerais, como o ferro.

registrado em: