Preocupação com gripe aumenta diante de nova cepa, conhecida como Darwin

Com a nova onda de gripe causada pela cepa da influenza batizada como Darwin, os brasileiros querem saber se as vacinas dadas por Senado, SUS ou pelas clínicas particulares no ano de 2021 são eficazes.
20/10/2021 12:15

Com a nova onda de gripe causada pela cepa da influenza batizada como Darwin, os brasileiros querem saber se as vacinas dadas por Senado, SUS ou pelas clínicas particulares no ano de 2021 são eficazes.

De acordo com o chefe do Serviço Médico de Emergência (Semede), Jálisson Cavalcante, as vacinas elaboradas pelo Instituto Butantan, como a aplicada no Senado, são trivalentes, ou seja, protegem contra o subtipo A (H1N1 e a H3N2) e o subtipo B. Nas clínicas particulares, as vacinas da gripe têm proteção quadrivalente, porque o subtipo B tem anticorpos para duas cepas diferentes, conhecidas como Victoria e Yamagata (essa última mais rara). A cepa Darwin está no subtipo A, H3N2.

O Butantan deve começar a produzir as vacinas com anticorpos para a cepa Darwin a partir de janeiro. A cada ano, a composição da vacina varia para oferecer proteção contra as cepas mais comuns em cada região. Jálisson recomenda aos já vacinados a proteção com máscara, de boca e nariz, e a espera pela próxima campanha, que deve começar no final do primeiro semestre.

– Apenas quem nao se vacinou contra gripe pode se vacinar, já que os já vacinados já desenvolveram algum grau de proteção pelo fato de ser uma variante da influenza A, H3N2. No mais, devem esperar a campanha ou a nova versão da vacina comercializada pela rede privada e, nesse caso, pedir reembolso.

O Semede ainda tem vacinas para quem não tomou neste ano. O serviço funciona durante a semana, das 9h às 12h e, à tarde, das 14h às 17h.

Covid

Como sintomas de gripe e de covid são muito parecidos e por causa do aumento dos casos de influenza, o Laboratório Sabin dará aos pacientes que fizerem que o teste RT-PCR para Covid o exame mini painel para vírus respiratórios, que inclui (covid + influenza A e B e vírus sincicial).

Não será cobrado nada a mais do cliente nem do convênio, mas o cliente precisa autorizar expressamente a pesquisa.

Foto: Pixabay / creative commons