Coronavírus: relembre cuidados importantes e peça ajuda

Com a abertura gradual dos serviços, nunca é demais voltar ao básico dos cuidados sobre a contaminação por coronavírus. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% dos pacientes com covid-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas). Apenas 20% dos casos demandam atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.
21/10/2020 12:35

Com a abertura gradual dos serviços, nunca é demais voltar ao básico dos cuidados sobre a contaminação por coronavírus. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% dos pacientes com covid-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas). Apenas 20% dos casos demandam atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.

O vírus, que causa infecções respiratórias de leve a moderada, pode infectar animais e seres humanos. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra, pelo ar, tosse ou espirro, através de contato pessoal, como toque ou aperto de mão, e por meio do contato com objetos ou superfícies contaminadas quando se leva a mão à boca, nariz e olhos.

Como se proteger

Para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus, o Ministério da Saúde recomenda:

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho, prédios e instalações comerciais, etc), quando utilizar estrutura de transporte público ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado.

  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo. Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas.

  • Mantenha distância mínima de um metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico.

  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outro objetos que são usados com frequência.

  • Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos.

  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

  • Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas.

  • Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde e siga as recomendações do profissional de saúde.

  • Recomenda-se a utilização de máscaras em todos os ambientes.  As máscaras de tecido (caseiras/artesanais), não são consideradas equipamentos de proteção individual (EPI), mas podem funcionar como uma barreira física, em especial contra a saída de gotículas potencialmente contaminadas.

Se você ficar doente

Se estiver doente, com sintomas compatíveis com o coronavírus (febre, tosse, dor de garganta e/ou coriza, com ou sem falta de ar) evite contato físico com outras pessoas, incluindo os familiares, principalmente, idosos e doentes crônicos. Procure imediatamente atendimento médico nos hospitais da rede própria do SIS ou rede credenciada do Saúde Caixa. Os médicos do Senado abriram um novo serviço de WhatsApp voltado para a Covid-19, mas dessa vez com foco na ajuda a servidores contaminados pelo coronavírus. Por um contato de WhatsApp (61-999443078), quem teve o exame de RT-PCR positivo é orientado sobre o risco de transmissão a parentes, medidas de isolamento, necessidade de procurar o hospital, reabilitação e até as medidas para retorno ao trabalho.

O canal de telemedicina já foi usado por centenas de pessoas desde sua criação, chegando a receber mais de mil interações. As dúvidas mais recorrentes são sobre os sintomas e quando fazer os testes, por exemplo. Em teletrabalho, a pequena equipe de médicos que já atendia dúvidas gerais sobre a Covid-19 em três números de WhatsApp desde março resolveu reservar um deles para quem já tem o resultado positivo. Os outros dois números permanecem para dúvidas em geral (61-998843606 e 61-998350971).
No canal direcionado para os doentes, os médicos sondam a intensidade dos sintomas e, a partir daí, prestam ajuda. Os casos mais leves são monitorados em casa. Já aqueles que claramente inspiram mais cuidados ou precisam de exames, são aconselhados a procurar um hospital especializado.
– A idéia de abrir esse canal foi acolher e dar segurança aos nossos colegas e suas famílias numa fase tão difícil, em que as pessoas têm incertezas e precisam de apoio – explica a médica Daniele Calvano, da Coordenação de Atenção à Saúde do Servidor (Coasas).

Exames

O Sistema Integrado de Saúde (SIS) oferece cobertura, via rede credenciada, para os exames de detecção da covid-19.

Existem duas formas de testagem para covid-19. A mais eficaz é o RT-PCR (esse método utiliza secreção respiratória para detectar o vírus). Esse exame identifica componentes do vírus durante a infecção, tendo sua eficácia maior atingida no quarto dia de sintomas. Ele é coberto pelo Saúde Caixa nos laboratórios Sabin e Exame.

O exame sorológico também pode ser realizado nos laboratórios da rede credenciada. O teste sorológico que identifica a presença dos anticorpos IgG ou de anticorpos totais passa a ser de cobertura obrigatória para os beneficiários do SIS a partir do oitavo dia do início dos sintomas.

Para que o paciente consiga a cobertura dos exames RT-PCR ou sorologia de covid-19, o pedido médico é obrigatório e deve descrever um dos quadros clínicos a seguir: síndrome gripal, síndrome respiratória aguda grave (Sars) ou, no caso de crianças e adolescentes, a suspeita de síndrome multissistêmica inflamatória pós-covid.

Condições que caracterizam síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave:

Síndrome Gripal – Quadro respiratório agudo caracterizado por sensação febril ou febre, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória.

Síndrome Respiratória Aguda Grave – Desconforto respiratório/dificuldade para respirar ou pressão persistente no tórax ou saturação de oxigênio menor do que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou rosto.

Para ter a cobertura do SIS/Saúde Caixa na sorologia, o beneficiário não pode estar enquadrado nas situações seguintes:

  • já tiver feito o RT-PCR e já tiver confirmada a infecção anteriormente;

  • já tiver feito o teste sorológico, com resultado negativo, há menos de uma semana (exceto se houver sintomas de síndrome gripal, multissistêmica ou Sars);

  • já tiver resultado positivo em outro sorológico realizado anteriormente;

  • se o teste for teste-rápido;

  • se o objetivo do pedido for rastreamento para retorno ao trabalho, pré-operatório, controle de cura ou contato próximo/domiciliar com caso confirmado;

  • se o objetivo for verificação de imunidade pós-vacinal.

Os pedidos de sorologia para anticorpos IgA e IgM, quando isolados, não serão cobertos pelo Saúde Caixa nos laboratórios. Caso tenha o pedido médico desses exames, o usuário deve pagar e pode pedir reembolso ao SIS, que analisará cada caso antes de autorizar o reembolso.