Senadores comentam principais temas da reabertura dos trabalhos

Da Redação | 05/02/2018, 19h19 - ATUALIZADO EM 05/02/2018, 21h58

Depois de terminada a sessão solene do Congresso Nacional que inaugurou o ano legislativo de 2018, vários senadores comentaram os principais temas abordados na mensagem do presidente da República e nos discursos dos presidentes da Câmara e do Senado. Reforma da Previdência, segurança pública e retomada econômica chamaram mais a atenção dos senadores.

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) classificou de “absolutamente frustrante” a mensagem encaminhada por Michel Temer ao Congresso. Para ela, o presidente erra ao insistir na reforma previdenciária, visto que a maior parte da população brasileira é contra a medida. Ela elogiou o pronunciamento do presidente do Congresso, Eunício Oliveira, por ter apresentado propostas mais concretas em relação à segurança pública.

A senadora Ângela Portela (PDT-RR) afirmou que o governo federal “terá grandes derrotas” em 2018, a começar pela não aprovação da reforma da previdência. Ela também disse ser contra a privatização da Eletrobras conforme foi defendida na mensagem presidencial.

Por sua vez, o senador José Medeiros (Pode-MT) elogiou a disposição de Executivo e Legislativo colocarem a segurança pública como prioridade para o país. Segundo ele, a população espera por isso há muito tempo. Baseado em conversas com deputados federais, Medeiros acrescentou que tem a sensação de que “dificilmente a reforma da Previdência vai ser aprovada na Câmara”.

A senadora Ana Amélia (PP-RS) afirmou que o governo federal mostrou na mensagem enviada ao Parlamento que vem co0nseguindo dar mais estabilidade ao para o país, o que deve ajudar na retomada do desenvolvimento sustentável.

Já Armando Monteiro (PTB-PE) disse que a mensagem do presidente da República comemora a estabilidade macroeconômica do país e aponta para a necessidade de maior atenção para a chamada microeconomia, a realidade das empresas e dos pequenos empresários.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)