Jorge Viana critica reportagem do Jornal Nacional sobre netos do ex-presidente Lula

Da Redação e Da Rádio Senado | 02/03/2016, 16h22 - ATUALIZADO EM 02/03/2016, 17h52

Em discurso nesta quarta-feira (2), o senador Jorge Viana (PT-AC) criticou o programa Jornal Nacional, da TV Globo, que, na edição de ontem, veiculou reportagem sobre os dois pedalinhos dos netos do ex-presidente Lula, que ficam estacionados no lago do sítio da família em Atibaia, cuja propriedade está sendo questionada pela Justiça.

Para Viana, a matéria ganhou espaço desproporcional à importância do fato. Já a reportagem sobre o escândalo do roubo de R$ 1,8 bilhão do metrô de São Paulo, na visão dele, ocupou um tempo mínimo no mesmo noticiário da Rede Globo.

— Acho que não é bom para o Brasil, não é bom para ninguém esse clima, esse ambiente e essa tentativa de caça, de destruição não só do presidente Lula, mas da sua própria família. Começou com ele, alcançou os filhos, alcançou a mulher, e, agora, estão envolvendo os netos. Será que não estão passando do ponto? Será que alguma autoridade do Judiciário, do Ministério Público não deveria tomar alguma atitude diante desses abusos? É a pergunta que deixo no ar.

Crimes em transporte coletivo

O senador Jorge Viana também comemorou a aprovação, por unanimidade, nesta quarta-feira, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), de projeto de sua autoria que torna mais rígida a punição de crimes cometidos dentro de veículos de  transportes públicos, como táxis,  ônibus e composições metroferroviárias, em terminais e em pontos de embarque e desembarque de passageiros.

A proposta (PLS 253/2014), que seguirá diretamente para votação na Câmara dos Deputados, se não houver recurso para votação em Plenário, tem como objetivo combater de maneira mais rigorosa esta prática que, segundo o senador, prejudica, principalmente, a população mais pobre.

— Por que eu estou apresentando esse projeto? Porque em São Paulo, de cada 3 celulares roubados, um é dentro de transporte coletivo. Os casos de abuso sexual dentro do metrô de São Paulo aumentaram em 64%. No Rio de Janeiro, tem um assalto a ônibus por hora e aumentou em mais de 34% de um ano para cá. Belo Horizonte registra 4 roubos a ônibus por dia. Em Vitória, no Espírito Santo, um assassinato por dia — frisou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)