Rodrigo Pacheco se reúne com o ministro da Saúde e pede aos brasileiros que evitem aglomerações

Após o encontro, o senador mineiro ressaltou que o momento ainda é crítico na guerra contra o vírus e, por isso, afirmou ser necessária a obediência dos brasileiros às recomendações técnicas e médicas para evitar uma terceira onda da doença no Brasil.
25/05/2021 14:35
Rodrigo Pacheco se reúne com o ministro da Saúde e pede aos brasileiros que evitem aglomerações

Rodrigo Pacheco se reúne com o ministro da Saúde e pede aos brasileiros que evitem aglomerações. Foto: Pedro Gontijo

BRASÍLIA – O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (Democratas-MG), recebeu, nesta terça-feira (25), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para um balanço das ações de combate à Covid-19 no país. Após o encontro, o senador mineiro ressaltou que o momento ainda é crítico na guerra contra o vírus e, por isso, afirmou ser necessária a obediência dos brasileiros às recomendações técnicas e médicas para evitar uma terceira onda da doença no Brasil. “Não podemos, definitivamente, descuidar da possibilidade de cada um de nós sermos infectados com essa doença. Portanto, mais do que nunca, vamos redobrar os cuidados. E, a todos aqueles que promovem ou participam de aglomerações, não façam isso. É muito importante a consciência de todos nós, independentemente da posição que tenhamos. Todos nós, brasileiros, precisamos estar unidos dentro de um propósito, de nos isolarmos, mantermos dentro do razoável e da possibilidade a normalidade de nossas vidas, mas não fazermos aglomerações. Porque isso pode ser realmente fatal numa eventual terceira onda que tivermos no Brasil”, ressaltou.

Pacheco ainda tratou com o ministro Marcelo Queiroga sobre a importância de expandir a testagem para o diagnóstico da Covid-19 da população brasileira e, assim, identificar e tratar adequadamente o paciente que contraiu a doença. Para isso, ele sugeriu a parceria com a iniciativa privada. O presidente do Senado também evidenciou a urgência de ampliar a vacinação para que todos os brasileiros possam ser imunizados até o final deste ano. Um dos caminhos apontados é a aprovação do registro da vacina Covaxin, desenvolvida na Índia, cujo registro está sendo analisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“A reunião com o ministro (Marcelo Queiroga) foi muito produtiva, e é esse trabalho de comunhão, de convergência, de ideias que se rendam à ciência, à lógica e à razoabilidade é o que fará com que possamos ser vencedores ao final dessa guerra. Vamos nos mobilizar em torno desse enfrentamento juntos”.