Pacheco detalha a ministro da Saúde projetos no Senado para o combate à Covid-19

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, reuniu-se, nesta segunda-feira (26), com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para detalhar o alinhamento de medidas com objetivo da aceleração do processo de vacinação contra a Covid-19 no país.
26/04/2021 18:23

BRASÍLIA – O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (Democratas-MG), reuniu-se, nesta segunda-feira (26), com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para detalhar o alinhamento de medidas com objetivo da aceleração do processo de vacinação contra a Covid-19 no país. O senador mineiro adiantou ao ministro que, no âmbito do Senado, há dois projetos primordiais para atenuar a crise sanitária brasileira que constam na pauta desta terça-feira (27). Pacheco citou como exemplo o texto (PL 1.343/2021), que pode garantir a produção de uma vacina 100% brasileira ainda no segundo semestre deste ano.

A proposta, de autoria do senador Wellington Fagundes (PL-MT), autoriza em caráter temporário a utilização de parques industriais veterinários para a fabricação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), necessário para a produção de imunizantes contra a doença. A outra proposição (PLS 415/2015) fortalece a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). O colegiado realiza as avaliações de novas tecnologias, como medicamentos, procedimentos e protocolos clínicos para ajudar o Ministério da Saúde a decidir sobre a incorporação de novos tratamentos na rede pública.

Pacheco tem ressaltado que somente a imunização célere de pelo menos um terço da população brasileira, correspondente a cerca de 100 milhões de doses, vai proporcionar condições mínimas para frear a proliferação do vírus no país. Para que essa meta seja cumprida, outras medidas estão em andamento. Queiroga informou ao senador mineiro a possibilidade da entrega de lotes de 1 milhão de doses pela Pfizer, ainda no final de abril, e a importação de cargas de caminhões de oxigênio do Canadá e dos chamados “kits de intubação” da Espanha.

Na reunião, Pacheco voltou a solicitar a liberação de auxílio financeiro às Santas Casas e hospitais filantrópicos e a deliberação célere da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre os imunizantes Covaxin e Sputnik V. “Estamos trabalhando para que a vacinação chegue o mais rápido possível a todos os brasileiros. Mesmo com a redução do número de internações, é fundamental que cada brasileiro possa continuar atento e mantenha os rigores de prevenção: uso de máscara, distanciamento social e higienização constante. São ações importantes para ajudar a desacelerar a proliferação da doença no país”, frisou o presidente do Senado.