Em reunião com investidores, Rodrigo Pacheco pede que não desistam do Brasil

Em reunião paralela à do FMI, nesta segunda-feira (5), o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, conclamou investidores a não desistirem do Brasil e ainda traçou um panorama para o pós-pandemia da Covid-19, com base na capacidade de o país consolidar reformas que já foram aprovadas e o papel do Congresso na busca de novas ações para alavancar a economia brasileira.
05/04/2021 16:10

BRASÍLIA- Em reunião paralela à do Fundo Monetário Internacional (FMI), nesta segunda-feira (5), o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (Democratas-MG), conclamou investidores a não desistirem do Brasil e ainda traçou um panorama para o pós-pandemia da Covid-19, com base na capacidade de o país consolidar reformas que já foram aprovadas e o papel do Congresso na busca de novas ações para alavancar a economia brasileira.

“Toda a programação e a expectativa de crescimento e progresso acabaram indo por água abaixo em razão da pandemia, que foi um fato inesperado, muito grave e que atingiu severamente o mundo todo. Se tinha a expectativa [de crescimento econômico] do Brasil, a partir das grandes reformas que já estavam sendo gestadas e outras já criadas, mas acabou tendo esse revés. E a nossa grande expectativa hoje é a de superação da pandemia por meio de um amplo processo de vacinação. A todos aqueles do Brasil e de fora do Brasil que enxergam o nosso país como um país de boas expectativas para o futuro, eu peço para que não desistam dessa expectativa”, destacou.

Pacheco citou ações que foram aprovadas pelo Parlamento e pelo governo federal, nos últimos cinco anos, com o intuito de alavancar a economia e criar um ambiente mais propício e com segurança jurídica para investidores. Entre elas, estão a independência e autonomia do Banco Central, o Novo Marco do Saneamento, a Lei de Falências e Recuperação Judicial e as reformas da Previdência, trabalhista e a mais recente reforma política. Além disso, o presidente do Congresso ressaltou que, após o enfrentamento à pandemia que virá com o aumento da escala de vacinação, outras medidas vão ser prioritárias no Legislativo, como as reformas administrativa e tributária.

“Tudo que já foi feito credencia o Congresso Nacional e o governo, junto ao mercado, de saber que nós temos esse compromisso com as reformas que sejam estruturantes, com as mudanças que precisamos para o bem-estar do povo brasileiro e daqueles que aqui investem. Embora haja um ambiente de muito negativismo no Brasil hoje, em razão de tudo que estamos vivendo e, infelizmente, é muito natural que isso aconteça com os números de mortos, temos que nos manter firmes dentro desse propósito de enfrentamento à pandemia e, na sequência, pensar num grande programa de pós-pandemia para fazermos o Brasil crescer”, declarou.