Ferramentas Pessoais
Acessar

Presidente diz que diálogo para formação da Mesa pacificou o Senado

Ao deixar a sessão em que foi eleita, nesta quarta-feira (6), o restante da Mesa que vai comandar o Senado nos próximos dois anos, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), destacou a força do entendimento que permitiu a formação de uma chapa única com 11 partidos representados.
06/02/2019 20:20
Presidente diz que diálogo para formação da Mesa pacificou o Senado

Presidente diz que diálogo para formação da Mesa pacificou o Senado. Foto: Marcos Brandão

Ao deixar a sessão em que foi eleita, nesta quarta-feira (6), o restante da Mesa que vai comandar o Senado nos próximos dois anos, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), destacou a força do entendimento que permitiu a formação de uma chapa única com 11 partidos representados. A Comissão Diretora é formada por dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes.

“Temos hoje, pela primeira vez, cada partido ocupando um assento na Mesa. Isso nunca ocorreu no Senado Federal. Então, eu entendo que, com muito diálogo, com muita convergência, com muito entendimento, a gente conseguiu construir essa votação”, enfatizou Davi.

Questionado se a oposição ficou com pouco espaço na composição da Mesa, uma vez que MDB e PT receberam a 3ª secretaria e a 3ª suplência, respectivamente, o presidente explicou que o importante é que todos os partidos poderão estar presentes e opinar nas reuniões da Mesa e de líderes quando são definidas votações e o andamento dos trabalhos.

“Todos os partidos foram representados, independentemente da posição de destaque na Mesa, se é uma posição de titularidade ou uma posição de suplência. Eu sou fruto do que uma suplência pode fazer com o parlamentar no Senado Federal”, disse Davi Alcolumbre, que ocupou a 3ª suplência na composição da última Mesa.

De acordo com o presidente, as conversas dos últimos dias também têm contribuído para a escolha dos presidentes das comissões. Na próxima terça-feira (12), às 14h, os líderes partidários voltam a se reunir na presidência do Senado para bater o martelo sobre os parlamentares que chefiarão os colegiados permanentes da Casa.

“Eu adiantei muito com todos os partidos a questão da composição das comissões. Então, o entendimento está seguindo em harmonia para a gente tentar, na semana que vem, não ter nenhum embate nas comissões e ter a votação de acordo com o que foi estabelecido pelos partidos”, explicou Davi.

O presidente informou ainda que, num acordo entre PSDB e MDB, a presidência da Comissão do Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), caberá ao MDB, que deve escolher a senadora Simone Tebet (MDB-MS) para comandar o colegiado. Já a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), ficará com o PSD, possivelmente, sob a liderança do senador Omar Aziz (PSD-AM). O MDB também terá a presidência da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO).