Ferramentas Pessoais
Acessar

Em união suprapartidária, Davi lança Frente Parlamentar Norte-Nordeste

Uma frente parlamentar, cujo objetivo é tocar projetos e levantar recursos que possam alavancar a economia das regiões Norte e Nordeste, independentemente de viés partidário.
25/04/2019 16:57

Uma frente parlamentar, cujo objetivo é tocar projetos e levantar recursos que possam alavancar a economia das regiões Norte e Nordeste, independentemente de viés partidário. Foi o que o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), formalizou nesta quarta-feira (24), em jantar na residência oficial.

A frente vai trabalhar em conjunto com governadores das duas regiões, já que ambos têm pautas comuns e semelhanças socioeconômicas, para aprovar obras estruturantes e formular projetos que possibilitem o crescimento dos estados e a melhoria das condições de vida de seus habitantes.

“O que nos unifica não é o partido, mas a agenda que vamos construir em conjunto, a fim de incrementar o crescimento das nossas regiões” – afirmou Davi, destacando o caráter suprapartidário do movimento.

Prioridades

Na terça-feira (23), a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) promoveu uma reunião com os governadores e parlamentares para alinhar a pauta de prioridades em prol das regiões. Foram apresentados, inicialmente, dez propostas para avaliação dos 48 senadores.

“Assim que a convergência de pauta for finalizada, a Frente Parlamentar Norte-Nordeste fará a divulgação nacional das demandas e ações a serem trabalhadas” – afirma Kátia Abreu.


Presenças

Além do governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), e do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), estiveram no lançamento da Frente Parlamentar Norte-Nordeste, os seguintes senadores (por ordem alfabética dos estados):

  • Acre – Sérgio Petecão (PSD);
  • Alagoas – Renan Calheiros (MDB) e Rodrigo Cunha (PSDB);
  • Amazonas – Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD);
  • Amapá – Davi Alcolumbre (Democratas), Lucas Barrreto (PSD) e Randolfe Rodrigues (Rede);
  • Bahia – Angelo Coronel (PSD) e Otto Alencar (PSD);
  • Ceará – Cid Gomes (PDT);
  • Maranhão – Roberto Rocha (PSDB) e Weverton (PDT);
  • Paraíba – Daniella Ribeiro (PP);
  • Pernambuco – Fernando Bezerra Coelho (MDB) e Humberto Costa (PT);
  • Piauí – Elmano Férrer (Pode) e Marcelo Castro (MDB);
  • Rio Grande do Norte – Zenaide Maia (Pros);
  • Rondônia – Marcos Rogério (Democratas);
  • Sergipe – Rogério Carvalho (PT);
  • Tocantins – Irajá (PSD) e Kátia Abreu (PDT).