Ferramentas Pessoais
Acessar

Em palestra na CNI, Davi afirma que o atual Congresso será o mais reformista da história

Davi participou, na tarde desta terça-feira (5), da reunião promovida pela CNI, coordenadora da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), que conta com cerca de 300 das maiores empresas que atuam no país.
05/11/2019 16:55

Burocracia excessiva, carência de recursos para investir em inovação, falta de incentivos, descontinuidade nas políticas públicas, educação fora de sintonia com o mercado de trabalho. Para o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (Democratas – AP) essas são algumas das razões que retardam a transformação e impedem que inovação, evolução tecnológica e aumento da produtividade cresçam nos níveis esperados no Brasil.

Davi participou, na tarde desta terça-feira (5), da reunião promovida pela Confederação Nacional de Indústrias (CNI), coordenadora da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), que conta com cerca de 300 das maiores empresas que atuam no país. O evento é considerado o principal fórum de interlocução entre o governo federal e a iniciativa privada.

Os líderes da MEI se reúnem a cada três meses em encontros com a presença de representantes do poder público e da academia, nos quais são discutidos caminhos para potencializar a inovação no setor empresarial brasileiro, e também são avaliadas as ações já em curso de estímulo à agenda no país.

A Frente Parlamentar Mista de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação, presidida pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF), constituída por 208 parlamentares, sendo 165 deputados e 43 senadores, e que conta com a participação de instituições da área, entidades acadêmicas e de representantes do setor empresarial de diversos segmentos, também fez parte da reunião.

O presidente da CNI, Robson Andrade, afirmou que a inovação precisa ser vista como estratégia nacional e motor do crescimento econômico. “Aliada às reformas estruturantes, como a da previdência e a tributária, é a inovação que determinará a capacidade de o Brasil competir em um ambiente internacional de crescente pressão tecnológica”, disse.

Para o presidente da CNI, o avanço mais significativo ocorrido nesses 300 dias foi a aprovação da reforma da Previdência pelo Congresso Nacional. Agora, a expectativa da indústria é que o governo e o Congresso Nacional enfrentem o desafio de realizar as reformas administrativa e tributária, bem como as demais reformas imprescindíveis para garantir o crescimento econômico e a criação de empregos.

Davi Alcolumbre reafirmou o seu compromisso com as medidas que promovam um novo pacto federativo e possibilitam um estado menos pesado, mais ágil, operoso e inovador. O presidente do Senado disse que o atual Congresso será o mais reformista da história.

Mais cedo, Davi recebeu o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes, que vieram ao Senado entregar o “Plano mais Brasil”, conjunto de medidas integrantes do novo pacto federativo. As propostas objetivam a descentralização dos recursos para estados e municípios, ação necessária para equilibrar as contas da administração pública em todos os níveis de governo.