Ferramentas Pessoais
Acessar

Em Minaçu, Davi conhece realidade dos trabalhadores de mineradora

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, acompanharam, na manhã deste sábado (27), senadores membros da Comissão Temporária Externa para conhecer a realidade de Minaçu (CTEMINAÇU).
27/04/2019 14:20

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, acompanharam, na manhã deste sábado (27), senadores membros da Comissão Temporária Externa para conhecer a realidade de Minaçu (CTEMINAÇU). Localizado na região Norte do estado goiano, o município abriga a sede da Sama Minerações, que está desde fevereiro com as atividades paralisadas. A empresa é líder na América Latina na extração e beneficiamento da crisotila, um tipo de amianto, mineral utilizado, principalmente, na construção civil.

"A visita do Senado em Minaçu é para verificar in loco esta situação. É angustiante ver uma decisão jurídica sobrepor-se à vida das pessoas, que tem o seu sustento com dignidade. A criação da comissão é uma atitude louvável”, afirmou o presidente do Senado.

O colegiado foi criado com o objetivo de avaliar a situação dos funcionários da mineradora após a interrupção dos trabalhos por meio de liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Além de Davi, os senadores Luiz do Carmo (MDB-GO), Chico Rodrigues (Democratas-RR) e Vanderlan Cardoso (PP-GO), autor da iniciativa, e deputados federais e estaduais acompanharam a visita à mina. Em seguida, os parlamentares se reuniram com a comunidade em uma audiência pública.

"O empreendimento não gera apenas riquezas para Minaçu, gera riquezas para o país. Estamos em um momento onde temos o maior número de desempregados da história deste país. O Senado da República abraça esta causa”, destacou Davi.

De acordo com dados da Sama, mais de 2.800 famílias de Minaçu são empregadas direta e indiretamente na empresa. Além dos empregos, o município é dependente dos impostos gerados pela mineradora. Por um período a Corte autorizou a extração do amianto apenas para a exportação. Atualmente, o STF aguarda parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) para decidir definitivamente sobre a retomada da atividade no país.

Sama

A Sama Minerações Associadas, pertencente ao Grupo Eternit, tinha como principal atividade a extração e beneficiamento da fibra mineral Crisotila, um tipo de amianto. Com a produção voltada exclusivamente para atender a demanda do mercado externo, se tratava de uma empresa 100% brasileira, a maior mineradora de Crisotila da América Latina e a terceira do mundo. A Crisotila é utilizada por mais de 150 países, como Estados Unidos, Alemanha e países do bloco asiático, em indústrias que vão da construção civil a aeroespacial.

A Sama controlava a mina de Cana Brava, situada no município de Minaçu, ao norte do estado de Goiás, a 510 km da cidade de Goiânia. A mina está localizada na margem esquerda do Rio Tocantins. A área de concessão estadual abrange 4.343 ha, sendo que deste total, aproximadamente, 20% eram destinados à mineração, 10% ao reflorestamento e 70% representa a reserva natural de vegetação nativa. A mina de Cana Brava foi descoberta em 1962 e, cinco anos depois, teve início a exploração de Crisotila na região.