Senadores parabenizam Renan pela prestação de contas dos 100 dias

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado - Quinta-feira, 9 de Maio de 2013
09/05/2013 00:00

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) foi um dos senadores que parabenizaram o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nos apartes que se sucederam à prestação de contas pelos 100 dias na Presidência da Casa, na tarde desta quinta-feira (9).

"Eu quero aqui manifestar o meu reconhecimento por esses cem dias, do ponto de vista, sobretudo, de eficiência financeira. E quero dizer que o senhor pode contar comigo e, tenho certeza, com alguns daqueles que não votaram no senhor, para nós avançarmos essas mudanças no funcionamento do Senado, porque eficiência financeira é fundamental, mas tem uma outra eficiência que é a de funcionar bem no trabalho que a gente faz, gastando menos, como o senhor está procurando fazer", ressaltou o senador pelo Distrito Federal.

Cristovam Buarque afirmou que a prestação de contas de Renan Calheiros merece a Casa cheia. "Eu gostaria de, daqui a cem dias, ver o senhor comemorando duzentos dias trazendo uma porção de outros avanços", afirmou. O senador Cristovam disse também desejar dizer, daqui a um ano, que Renan cumpriu plenamente o seu dever na Presidência do Senado. "Isso para que quem não votou no senhor, como eu, tenha que vir aqui tirar o chapéu e reconhecer o seu trabalho. Serei o primeiro a tirar o chapéu", afiançou Cristovam. 

Eduardo Braga
O senador Eduardo Braga (PMDB-AM), também parabenizou as ações tomadas por Renan Calheiros na Presidência do Senado. De acordo com Braga, a prestação de contas de Renan demonstra o quanto o Poder Legislativo tem capacidade de fazer a sua autocrítica, de se reciclar e de tomar, por meio do consenso dos senadores, decisões importantes. O senador amazonense afirmou que algumas ações tomadas pela Mesa Diretora representam um marco para o Senado. "Refiro-me, por exemplo, à decisão de transferir para o Distrito Federal, para o Governo do Distrito Federal, recursos da área da saúde, seja de pessoal, seja de equipamentos, que eram subutilizados em unidades que o Senado possuía e que, lamentavelmente, o povo brasileiro não tinha acesso." 

Vital do Rêgo
O senador Vital do Rêgo (PMDB-AL), por sua vez, disse que acompanhava a prestação de contas de Renan Calheiros com muito interesse. "Quando Vossa Excelência apresentou sua candidatura tínhamos confiança no modelo de gestão proposto e que efetivamente foram colocados em prática", ressaltou o senador. De acordo com Vital do Rêgo, a Mesa Diretora foi a verdadeira coadjuvante nesse processo de dar mais eficiência e economia à gestão do Senado. "E nós sentimos na própria sociedade brasileira o reflexo das primeiras medidas, que não quero citar uma ou outra, mas o conjunto delas, com cifras que somam já R$300 milhões de economia – estimativa que poderá aumentar, a cada momento. Mas, não é buscar, apenas, a diminuição da despesa, não é buscar apenas a redução dos gastos, é procurar, ao mesmo tempo em que reduz, aumentar a eficiência, melhorar a transparência e dar modernidade aos nossos trabalhos. Estamos muito felizes por estarmos completando esses 100 dias, com a possibilidade de prestar à Nação brasileira o resultado do nosso trabalho", disse o senador paraibano. 

Vanessa Grazziotin
A senadora amazonense, Vanessa Grazziotin (PCdoB), também parabenizou Renan Calheiros (PMDB-AL) pela prestação de contas dos 100 dias de gestão na Presidência do Senado. Segundo a senadora, além de todas as medidas de economia e mais eficiência imprimida na atual gestão, merece aplausos a aprovação e promulgação da PEC das Domésticas. "Parece simples ter aprovada a equiparação de direitos dos empregados domésticos a de outros trabalhadores. Mas, há mais de 70 anos esta demanda estava parada no Congresso, mas é necessário decisão política para aprovar. Se fosse fácil outros teriam já feito", avaliou Grazziotin. A senadora disse parabenizar o presidente Renan também do ponto de vista legislativo e administrativo e destacou a questão da transparência, um dos pilares da gestão do atual presidente do Senado. "Falamos muito de combate a corrupção, o melhor instrumento para combater a corrupção é a transparência", ressaltou. 

Ana Amélia
"Estou a vontade em falar, por que não votei no senhor. Vossa excelência esta fazendo uma prestação de contas para a sociedade. Todas as medidas que o senhor tomou fazem parte de um conjunto de ações de recuperação da imagem do Senado", salientou Ana Amélia (PP-RS). A senadora disse que a prestação de contas dos 100 dias não é apenas para o Senado. "Vossa Excelência está fazendo uma prestação de contas à sociedade brasileira. Está a Casa que representa os Estados, ela é também uma Casa que representa a sociedade. Então, esta prestação de contas é à sociedade porque é ela que paga o custeio da nossa democracia, do nosso Congresso Nacional", avaliou a senadora gaúcha.

A senadora Ana Amélia disse também que todas as medidas já tomadas e outras tantas a serem tomadas farão parte da agenda de construção de uma imagem positiva do Congresso Nacional, por ações. E as ações têm mais peso do que as palavras. "É dessa forma que damos a resposta que a sociedade espera de nós com o compromisso que temos com o exercício deste mandato. Eu tenho certeza de que Vossa Excelência tomará as medidas necessárias para resgatar a credibilidade desta instituição", acrescentou Ana Amélia. 

Sérgio Souza
O senador paranaense Sérgio Souza (PMDB-PR), em seu aparte para parabenizar Renan Calheiros, afirmou que o Senado é espelho da sociedade. "Estamos aqui por que a sociedade quis. Nada mais certo do que darmos o exemplo de uma gestão eficiente e transparente. Temos que resgatar a dignidade desse Poder. Constantemente há uma invasão dos outros poderes nas atribuições do Congresso. Nesses cem dias o senhor já mostrou a que veio e porque veio", disse o senador. 

José Pimentel
O líder do Governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), também parabenizou o pronunciamento do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Para ele, o presidente Renan imprimiu um novo ritmo aos trabalhos da Casa e incentivou os senadores a participarem mais dos trabalhos nas comissões. "O trabalho da nova Mesa resultou em aumento da produtividade e celeridade dos trabalhos nesta Casa". Pimentel parabenizou Renan em nome do Partido dos Trabalhadores e desejou que 2013 seja marcado pelas mudanças que marcaram os cem primeiros dias dessa gestão.

"Eu quero aqui parabenizá-lo pelo seu trabalho, em nome do nosso Partido, o Partido dos Trabalhadores. Esse é o sentimento deste Líder do Governo no Congresso Nacional, que é o sentimento daqueles que fazem o Brasil. Espero que, neste 2013, possamos continuar avançando nessas reformas, nessas mudanças, para dar ainda mais racionalidade ao nosso Senado Federal, ao nosso Congresso Nacional, tendo como objetivo servir melhor ao Brasil e, particularmente, às mudanças de que o Brasil necessita", disse Pimentel.

Jayme Campos
O senador pelo Estado de Mato Grosso (DEM), Jayme Campos, avaliou que os 100 dias de gestão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), "foram muito profícuos de avanços e conquistas, sobretudo, de uma demonstração muito clara das boas intenções que a Mesa Diretora, de que também tenho a honra de fazer parte como suplente, desenvolveu nesses dias".

Pimentel afiançou que Renan está demonstrando que quer realmente modernizar, avançar, e, sobretudo, reduzir as despesas do Senado. "O Congresso, sobretudo o Senado, indiscutivelmente tem contribuído com a nossa Nação, no aprimoramento e nos novos projetos de lei que temos aprovado aqui", afirmou. 

Eduardo Lopes
No seu aparte, o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) reafirmou seu voto em Renan para a Presidência do Senado e disse que, desde o primeiro momento, acreditou nas mudanças propostas por ele, ainda como candidato. Para Eduardo Lopes, o Senado está passando por uma mudança histórica na forma de ser administrado.

"Votei acreditando nisso. E agora eu vejo, passados esses cem dias, decisões, como foram citadas, corajosas. Toda mudança traz transtornos, toda reforma traz transtornos, incomoda, atrapalha. Mas as reformas e as mudanças que foram feitas até agora foram com objetivo de melhorar, foram com objetivo, realmente, de trazer essa eficiência ao Senado."

Agradecimentos de Renan pelos apartes
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao agradecer os apartes de seus colegas informou que conjuntamente com o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), retornou as conversas para que seja votada a Proposta de Emenda à Constituição que regulamenta a tramitação das medidas provisórias. "Ontem mesmo votamos uma medida provisória muito importante, que havia chegado na véspera. Nós excepcionalizamos essa votação em função da grande vontade da Casa de colaborar com a aprovação dessa importantíssima medida provisória. Mas do ponto de vista legislativo, é impraticável que o Senado Federal se obrigue pelos fatos a apreciar uma medida provisória de um dia para o outro", avaliou Renan. 

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que há procedimentos internos que continuarão a ser observados, no sentido de que, se a medida não demorar pelo menos dez dias, haverá dificuldade em apreciá-la. "Ou, então, que precisamos de dois dias a publicação do parecer, para que dele a Casa tome inteiramente conhecimento", acrescentou Renan. Ele também informou que recebeu apelo da presidenta da República, Dilma Rousseff, para apreciação da MP dos Portos na próxima semana. "Eu fiz questão de dizer que o Senado iria aguardar a manifestação da Câmara, que nós iríamos envidar todos os esforços para superarmos esses procedimentos acordados internamente", disse.

Renan Calheiros disse que o Senado Federal nunca faltou com o Brasil. E acrescentou que não irá faltar com o Brasil agora, em uma hora como esta, de crise econômica internacional. "Nós precisamos incrementar as nossas exportações, modernizando os nossos portos", ressaltou. 

O presidente do Senado finalizou os seus agradecimentos afirmando que o Brasil está vivendo um aperfeiçoamento institucional. "O ápice dessa relação entre os poderes, da democracia. No entanto, nós não podemos concordar, de forma nenhuma, com o controle constitucional preventivo do processo legislativo. Discutir a constitucionalidade de uma lei que não veio à luz é algo com o qual nós não vamos concordar. Não dá para concordar, porque isso interrompe o processo legislativo. Esse poder não é de outro poder da República; esse poder é do Poder Legislativo, é do Congresso Nacional, outorgado pelo povo", disse.

 

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado