Renan recebe presidente do Movimento Brasil Eficiente

11/04/2013 10:55

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recebeu a visita nesta quarta-feira(10) do coordenador do Movimento Brasil Eficiente, o economista Paulo Rabello de Castro. Sem vinculação partidária, o Movimento Brasil Eficiente reúne representantes do setor produtivo, empresarial e da sociedade civil. O objetivo do movimento é sensibilizar governo e parlamentares sobre a importância de reduzir o peso dos impostos na economia para alavancar o crescimento econômico e a oferta de emprego.

O coordenador do movimento pediu ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que agilize a votação do projeto que cria o Conselho de Gestão Fiscal, conforme prevê o Artigo 67 da Lei de Responsabilidade Fiscal. O conselho deve ser vinculado ao Ministério do Planejamento e terá como função principal estabelecer diretrizes gerais para o acompanhamento e a avaliação permanente da política e da operacionalidade da gestão fiscal.

Paulo Rabello de Castro disse ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que é precisa acabar com o "manicômio tributário que impera no Brasil". Ele também informou que a partir do dia 25 de maio, o Movimento Brasil Eficiente deverá iniciar uma campanha nacional pela passagem do Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), explicou que uma de suas prioridades é a diminuição da burocracia estatal e a aprovação de projetos que favoreçam o ambiente econômico, social e empresarial. O senador destacou que uma das ideias em debate é a questão da lei expressa, uma forma de votar temas de interesse do país, simultaneamente nas duas Casas legislativas, encurtando dessa forma o tempo de tramitação das matérias.

"A ideia é viabilizar a aprovação de matérias legislativas que ajudem na superação de gargalos na produção de vários setores produtivos, assim como a regulamentação de vários dispositivos constitucionais. O Congresso vai fazer sua parte para garantir o crescimento do país", concluiu Renan.