Presidente do Senado elogia medida do governo de voltar a produzir insulina humana

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado - Quarta-Feira, 17 de Abril de 2013
17/04/2013 00:00

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comemorou o anúncio do Ministério da Saúde de que o Brasil vai voltar, a partir de 2014, a produzir insulina humana, medicamento usado no tratamento de diabetes. A iniciativa colabora com quatro projetos do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que propõe benefícios aos brasileiros portadores de diabetes.

O primeiro prevê a distribuição gratuita de medicamentos para aqueles que enfrentam a doença. A medida foi encampada pelo governo da presidente Dilma Roussef, dentro do programa Aqui tem Farmácia Popular - conforme o compromisso assumido na campanha eleitoral de 2010, que propôs a gratuidade de remédios para hipertensos e diabéticos.

Outra proposta do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), prevê a isenção de imposto de renda para os aposentados e pensionistas que enfrentam a diabetes. A proposta já foi aprovada no Senado Federal e encontra-se na Comissão de Seguridade Social e Saúde da Câmara dos Deputados. O terceiro projeto do presidente Renan prevê a gratuidade nos equipamentos para medir glicemia, liberdade para movimentação das contas do PIS, PASEP e FGTS além da eliminação dos prazos de carência para auxílio-doença e concessão de aposentadorias.

Segundo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), "os portadores destas doenças, suas famílias e todos nós só temos que celebrar uma iniciativa que estava sendo cobrada pelos hipertensos, diabéticos e pela sociedade como um todo. Eu, particularmente, fico honrado com a incorporação de uma proposta de minha autoria em um programa do governo federal", acrescentou. Na oportunidade, Renan enviou uma carta a Dilma Rousseff parabenizando-a pela iniciativa que, de acordo com ele, terá efeitos residuais na arrecadação de impostos. "Só quem enfrenta as duas enfermidades no dia-a-dia sabe o que elas representam em custos e limitações", salientou o presidente Renan Calheiros.

Em relação aos demais projetos – isenção de imposto de renda, liberação de FGTS e gratuidade de equipamentos para medir glicemia -, o senador Renan afirmou que vai continuar lutando no Congresso pela aprovação desses projetos o mais breve possível. Atualmente 1 milhão de pessoas utilizam insulina do sistema público de saúde. Esse mercado permite que o investimento para a produção da insulina seja sustentável e pode ocupar mercados na América Latina e outros países. Apenas quatro países em todo o mundo produzem insulina. A produção nacional desse medicamento foi interrompida em 1999, quando a Biobrás, laboratório que produzia a substância e a fornecia ao Sistema Único de Saúde (SUS) foi vendido a um grupo multinacional.

O laboratório de insulina nacional vai funcionar em Minas Gerias.

 

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado