"Não existe crise entre os poderes", afirma o presidente do Senado, Renan Calheiros

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado - Segunda-feira, 29 de Abril de 2013
29/04/2013 00:00

Após a reunião com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) explicou que as tensões entre os poderes são naturais em uma democracia, mas não afetam a dimensão que cada poder possui da consciência do papel constitucional e da responsabilidade com o país. Renan negou que exista uma crise entre os poderes. "Não existe crise. Nós estamos vivendo um período de efervescência da democracia. E o aperfeiçoamento da democracia exige que nós passemos por essas tensões", afirmou.

Os presidentes do Senado e da Câmara encontraram-se nesta tarde (29), na residência do ministro do STF, Gilmar Mendes. Este foi o primeiro encontro desde a decisão tomada por Gilmar Mendes, na semana passada, de suspender a tramitação do projeto que dificulta a criação de novos partidos e estava em discussão no plenário do Senado.

O agravo regimental interposto pelo Senado contra a decisão de Mendes e a aprovação, pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, da Proposta de Emenda Constitucional que dá aos parlamentares a prerrogativa de rever decisões do Supremo foram alguns dos assuntos discutidos na reunião.

De acordo com o presidente Renan, a conversa serviu para que todos pudessem expor as razões que motivaram os recentes acontecimentos. "Estamos satisfeitos, o ministro Gilmar foi muito gentil. Defendeu seus pontos de vista e nós defendemos os nossos. As crises institucionais precisam de uma solução de fora para dentro e quando não há crise, a gente constrói soluções de dentro para fora. Agora a bola está no chão, calma, tranquila", garantiu o presidente.

Na próxima segunda-feira (6), um novo encontro entre os presidentes do Senado, Renan Calheiros; da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves; e o ministro do STF, Gilmar Mendes deverá acontecer. "Vamos continuar conversando. Vou dar as informações do Senado que forem necessárias e o presidente Henrique Alves está vendo o que, do ponto de vista regimental, vai poder encaminhar para que seja suspensa a tramitação da PEC 33", concluiu.

 

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado