Canavieiros pedem mais recursos para amenizar prejuízos da seca

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado - Terça-feira, 16 de Abril de 2013
16/04/2013 00:00

A seca continua a castigar o Sertão Nordestino e a safra de cana deste ano dá sinais de prejuízo. Para tentar amenizar o impacto do prejuízo, produtores e representantes de associações de plantadores de cana-de-açúcar, aguardam a sanção pela presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei de conversão oriundo da Medida Provisória 587, aprovado pelo Senado no último dia 4 de abril. A proposta ameniza os prejuízos dos agricultores na safra de 2011-12, quando foi registrada a pior estiagem dos últimos 50 anos.

O projeto prevê a liberação de R$ 10 por tonelada de cana fornecida na safra e faz parte de um programa de subvenção criado pela então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. O prazo constitucional para a sanção presidencial termina no próximo dia 29.

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Açúcar de Alagoas - Asplana, Lourenço Lopes, pediu a ajuda do presidente do Senado, Renan Calheiros, para sensibilizar o Governo Federal sobre o drama enfrentado pelos canavieiros.

Segundo Lourenço, dados do Ministério da Agricultura mostram que mais de 90% da cultura de cana-de-açúcar está nas mãos de pequenos produtores. O presidente da Asplana alerta que a seca destruiu 30% da última safra e agora ameaça a nova produção, há previsão de perda de pelo menos 20% das socarias, as sementes da cana-de-açúcar.

- Estamos preocupados em garantir o sustento dos pequenos produtores, que têm na cultura de cana o sustento de suas famílias, afirmou Lourenço Lopes.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) se solidarizou com o pedido dos produtores de cana e defendeu o repasse imediato de recursos pelo governo.

- Precisamos sinalizar ao governo sobre a importância desse repasse, que é a única forma de amenizar o sofrimento causado pela seca, concluiu Renan.

 

Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado