02/12/2022
Maioria dos internautas acredita que violência doméstica se combate com ações integradas entre governos estaduais, municipais e sociedade civil

No mês de novembro se inicia a campanha 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra meninas e mulheres. Para marcar a data, o DataSenado apresentou aos internautas perguntas sobre o Projeto de Lei n° 501 de 2019, que dispõe sobre a elaboração e a implementação de plano de metas para o enfrentamento integrado da violência doméstica e familiar contra a mulher, da Rede Estadual de Enfrentamento da Violência contra a Mulher e da Rede de Atendimento à Mulher em Situação de Violência; e altera a Lei nº 13.675, de 11 de junho de 2018.

Na opinião dos internautas, violência doméstica não é assunto privado e deve ser combatida com políticas públicas integradas entre governos municipais, estaduais e sociedade civil. Confira abaixo os pontos do projeto levantados pela enquete.

Maioria dos participantes (88%) discorda da afirmação “violência doméstica é assunto de família, o governo não deve interferir”.


 

 

A maior parte dos internautas (93%) acredita que violência doméstica se combate com ações integradas entre governos estaduais, municipais e sociedade civil.

 

 

De acordo com a enquete, os internautas em geral (88%) concordam que um plano de metas para o enfrentamento da violência doméstica deve ser priorizado por estados e municípios.

 

 

Para a maioria dos participantes (71%) punir o agressor não é a única forma de se combater a violência doméstica e familiar. Em geral, há a prevalência da visão de que violência doméstica e familiar envolve, além da segurança pública, políticas públicas de saúde, justiça, assistência social, educação e direitos humanos.

 

O Projeto de Lei n° 501 de 2019 está em tramitação. Se você se interessa pelo tema violência doméstica e familiar contra a mulher e quer conhecer mais sobre a rede de enfrentamento, acesse aqui os vídeos preparados pelo Observatório da Violência contra a Mulher.

A enquete contou com 73 participantes e ficou disponível no Portal do DataSenado de 3 de novembro a 1° de dezembro de 2022

 

Os resultados refletem a opinião dos que participaram da enquete no portal do Senado Federal. Os números não representam a opinião da totalidade da população brasileira. Os valores percentuais foram arredondados de maneira que a soma dos percentuais de alguns gráficos pode ser diferente de 100%, para mais ou para menos