07/01/2019
O Senado Federal e a Ordem Democrática
Maioria dos brasileiros valorizam o Senado e a Câmara dos Deputados

População acha importante que parlamentares estejam atentos aos atos do Executivo e próximos das bases eleitorais

Pesquisa DataSenado realizada em dezembro aponta que sete em cada dez brasileiros acham o Senado e a Câmara dos Deputados importantes ou muito importantes para a democracia brasileira. Em relação ao trabalho dos parlamentares, a atribuição mais valorizada é a de fiscalizar a atuação do poder Executivo. Essa determinação constitucional é apontada por 84% das pessoas como importante ou muito importante. A segunda atividade mais valorizada é atender aos pedidos dos eleitores, considerada importante ou muito importante por 82% dos brasileiros. Realizar visitas aos estados para manter contato direto com o eleitorado aparece em terceiro lugar, com 81%. Os entrevistados atribuem importância a todas as atividades parlamentares pesquisadas, mas, de forma geral, há tendência a valorizar menos os discursos e mais a proximidade com as pessoas.

 

 

Emprego deve ser prioridade

De acordo com a pesquisa DataSenado, gerar mais empregos deve ser a prioridade nos próximos anos, apontada por 29% dos brasileiros. Melhorar a saúde, a educação e combater a corrupção aparecem em seguida, com, respectivamente, 18%, 17% e 16% das menções.

 

 

Pesquisa DataSenado aponta retomada do otimismo

O percentual de pessoas satisfeitas ou muito satisfeitas com a própria vida atualmente está em 70%. E, embora a condição econômica atual esteja estagnada para quase metade dos brasileiros (45%), a expectativa de que os próximos 6 meses serão melhores ou muito melhores é compartilhada por 65%. O futuro do país também desperta otimismo em 67% dos brasileiros, quando projetam as perspectivas para os próximos anos.

 

 

 

 

A pesquisa tem representatividade nacional e a amostra é 100% probabilística. Foram realizadas 2.400 entrevistas face a face em 131 municípios distribuídos nos 26 estados e no Distrito Federal. Os respondentes foram sorteados conforme técnica de amostragem aleatória estratificada em seis estágios. A coleta de dados ocorreu entre 28 de novembro de 2018 e 3 de janeiro de 2019, a margem de erro é de 2% e o nível de confiança é de 95%. Os valores percentuais foram arrendondados de maneira que, em alguns casos, a soma dos percentuais de gráficos e tabelas sejam diferentes de 100%, para mais ou para menos.