16/06/2020
Pesquisa: Coronavírus
Maioria dos brasileiros apoia uso do fundo eleitoral no combate ao coronavírus

Maioria dos brasileiros apoia uso do fundo eleitoral no combate ao coronavírus

Medidas de enfrentamento ao coronavírus foram tema de nova rodada de pesquisa nacional DataSenado sobre a epidemia no país. O levantamento, realizado entre os dias 9 e 11 junho, ouviu 1.447 cidadãos com mais de 16 anos, em amostra representativa da opinião da população brasileira. Os resultados mostram que aproximadamente 9 em cada 10 brasileiros concordam com o PL 1.412/2020, de autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES). A proposta autoriza o governo federal a usar recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) para o enfrentamento de crises decorrentes de pandemia declarada pelo Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

 

Já o PL 2.708/2020, que torna mais rigorosa a punição para desvio de dinheiro público destinado ao enfrentamento da pandemia, tem apoio de 96% dos brasileiros. A proposta, também de autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), altera o Código Penal para incluir a definição do crime de peculato qualificado, com pena prevista de reclusão de 12 a 30 anos e multa.

 

 

Medidas para amenizar o impacto econômico da epidemia no orçamento dos cidadãos também foram objeto da pesquisa. Os dados mostram que 78% brasileiros concordam que a cobrança de multas e juros sobre operações de crédito bancário deve ser proibida, conforme previsão do PL 1.209/2020.

 

 

Na mesma linha, a maioria dos brasileiros acham que o pagamento de financiamento imobiliário deve ser suspenso no caso de pessoas que perderam o emprego ou tiveram a renda diminuída em razão da crise causada pelo coronavírus. A medida está prevista no PL 1.935/2020.

 

 

 

As amostras do DataSenado são totalmente probabilísticas. Nas entrevistas são feitas perguntas que permitem estimar a margem de erro para cada um dos resultados aqui divulgados, calculados com nível de confiança de 95% (Anexo 1 do relatório). Dessa forma, não existe uma única margem de erro para toda a pesquisa (aproximação usual em pesquisas que não são totalmente probabilísticas). As entrevistas foram distribuídas por todas as unidades da Federação, por meio de ligações para telefones fixos e móveis, com alocação proporcional à população de cada UF.