29/05/2020
Pesquisa: Coronavírus
Brasileiros apoiam lei que proíbe aumento de salário para políticos

O Senado Federal já analisou e votou mais de trinta propostas de lei com objetivo de minimizar os efeitos da Covid-19 no país. Para subsidiar o trabalho parlamentar e auxiliar na definição de prioridades, o Instituto DataSenado realiza rodadas frequentes de pesquisas de opinião. Entre os dias 27 e 29 de maio, foram entrevistados por telefone 1.200 brasileiros com mais de 16 anos, em amostra representativa da opinião da população brasileira.

A quarta rodada da pesquisa nacional DataSenado sobre a epidemia do coronavírus no país abordou temas como o auxílio financeiro do governo federal a estados e municípios, projetos de lei para minimizar os efeitos da crise sobre a população e ainda como o brasileiro se sente em relação a frequentar locais públicos ou muito movimentados no atual momento.

Os dados mostram que 40% da população tem conhecimento sobre a proibição de aumento salarial para servidores públicos até 2022, como contrapartida ao auxílio financeiro do governo federal a estados e munícipios para o combate ao coronavírus. Dentre esses brasileiros, 63% sabem que a restrição alcança, inclusive senadores, deputados e vereadores.

 

 

 

Independente de ter ou não conhecimento prévio sobre a restrição, 78% dos brasileiros acham muito importante a proibição ao aumento de salário para deputados, senadores e vereadores.

 

 

Por outro lado, a maioria da população concorda que algumas categorias do funcionalismo público não devem ser proibidas de ter aumento de salário. Para 91% dos brasileiros, por exemplo, profissionais de saúde não devem ser alvo de restrição a reajuste salarial. Quando se trata de professores da rede pública de ensino, 69% defendem que também não sejam impedidos de ter aumento e 66% afiram a mesma coisa em relação aos profissionais da segurança pública.

 

 

O auxílio financeiro do governo federal a estados e municípios é de conhecimento de 79% da população e 45% acreditam que ele vai ajudar muito no combate à pandemia.

 

 

 

Maioria sente medo de frequentar locais públicos

Sobre ir a lugares públicos ou de grande fluxo de pessoas no atual momento de pandemia, 9 em cada 10 brasileiros se sentem pouco ou nada seguros em frequentar feira, bares, restaurantes e shoppings.

 

 

Percentual semelhante de brasileiros (89%) acredita que há muito risco de contaminação pelo coronavírus no transporte público. Quando se trata de escolas e faculdades e academias, aproximadamente 8 em cada 10 brasileiros compartilham a mesma avaliação. Por outro lado, os dados indicam que, comparativamente, há menos receio em relação a áreas de lazer, como parques e praias (65%) e bancos (54%).

 

 

 

As amostras do DataSenado são totalmente probabilísticas. Nas entrevistas são feitas perguntas que permitem estimar a margem de erro para cada um dos resultados aqui divulgados, calculados com nível de confiança de 95% (Anexo 1 do relatório). Dessa forma, não existe uma única margem de erro para toda a pesquisa (aproximação usual em pesquisas que não são totalmente probabilísticas). As entrevistas foram distribuídas por todas as unidades da Federação, por meio de ligações para telefones fixos e móveis, com alocação proporcional à população de cada UF.