06/04/2016
Manifestações - março 2016
Brasileiros confiam nas manifestações de rua para melhorar o país

Combate à corrupção e apoio ao impeachment da presidente da República foram as principais motivações que levaram os brasileiros às ruas no dia 13 de março. A maioria acredita que as manifestações ajudam a melhorar o país, tem entre 16 e 49 anos, ensino superior e renda maior do que dois salários mínimos.

Esse é o perfil dos manifestantes apontado por pesquisa do Instituto DataSenado, realizada entre os dias 17 e 28 de março, com 810 cidadãos de todo o Brasil. 97% dos respondentes tinham conhecimento das manifestações, 19% participaram delas e 66% prometem ir às ruas “caso as coisas não melhorem”. 74% disseram não se sentir próximo de qualquer partido.

A corrupção foi apontada como motivador por 59% dos pesquisados e o impeachment da presidente da República por 34%. O protesto contra a situação econômica do país levou às ruas apenas 6% dos manifestantes. Os homens tiveram participação majoritária - foram 56% contra 44% das mulheres.

Entre os que estiveram nas ruas, 25% estão na faixa de 16 a 29 anos, 23% entre 30 a 39 anos e 20% entre 40 a 49 anos. A maioria – 93% - têm ensino médio ou superior completo, 37% e 56% respectivamente. 30% ganham mais de dois salários mínimos, 21% recebem entre 5 e 10 mínimos, 20% têm renda inferior a dois mínimos e 16% superior a 10 mínimos.

O Sudeste brasileiro teve maior índice de participação - 44% - e o Norte o menor – 9%. No Sul foram 19% e 17% no Nordeste. 33% dos pesquisados alegaram não ter ido às ruas porque “tinham outro compromisso” e 17% por serem contrários ao impeachment.

O medo de violência e o não interesse por política motivaram a ausência de 16% dos pesquisados; 13% vivem em cidades onde não houve manifestações.