Segurança pública, mineração e Justiça Eleitoral foram destaques esta semana

Da Redação | 01/12/2017, 15h47 - ATUALIZADO EM 01/12/2017, 18h22

Selo_Aconteceu_no_SenadoVeja como foi a semana de votações e debates no Senado.

Segurança pública fora da LRF

Foi aprovado esta semana o PLS 247/2016, que altera a Lei de Responsabilidade Fiscal para facilitar a transferência de recursos federais para estados e municípios na área de segurança pública. O texto, do senador Omar Aziz (PSD-AM), autoriza a liberação do dinheiro, mesmo que governos e prefeituras estejam inadimplentes com a União. A LRF determina a suspensão das transferências voluntárias da União no caso de inadimplência, mas estabelece três exceções: estados e municípios podem contar com os recursos se eles forem destinados às áreas de educação, saúde e assistência social. O PLS, que estende o benefício para a segurança pública, segue para a Câmara.

Agência Nacional de Mineração

Foi aprovada a MP 791/2017, que cria a Agência Nacional de Mineração (ANM). A MP determina que ANM terá as funções de regulação e fiscalização do setor, em substituição ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), extinto. Aprovada na forma de um Projeto de Lei de Conversão, a MP segue para a sanção presidencial.

Justiça Eleitoral

O Senado aprovou a PEC 4/2017, que impede a posse de membros da Justiça Eleitoral que tenham sido filiados a partidos políticos nos dois anos anteriores. De acordo com a PEC, do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), não podem ser integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos tribunais regionais eleitorais e das juntas eleitorais advogados e cidadãos indicados que tiverem sido filiados a partidos políticos nos dois anos anteriores à posse no cargo ou ao início do exercício da função. A intenção é garantir a imparcialidade nos julgamentos. O texto segue para a Câmara.

Preços em comércio eletrônico

Os sites de comércio eletrônico serão obrigados a divulgar, de forma clara, os preços dos produtos ou serviços que oferecem. É o que determina o PLC 48/2017, aprovado pelo Senado esta semana. O texto determina que a divulgação dos preços deve ser feita de forma ostensiva e com caracteres facilmente legíveis, com fonte de tamanho igual ou maior que 12. A matéria vai a sanção presidencial.

Venda fracionada de remédios veterinários

O Senado também aprovou o projeto que permite a venda fracionada de medicamentos em clínicas veterinárias e pet shops. O texto estende para os animais prática já adotada no comércio de remédios para seres humanos. Assim, o fracionamento dos medicamentos deverá ser feito pelo veterinário responsável pelo estabelecimento. No entanto, as frações individualizadas precisarão ser fornecidas sem o rompimento da embalagem primária e mantendo seus dados de identificação. Como foi aprovado em forma de substitutivo, o PLC 59/2017 ainda será submetido a mais um turno de votação antes de voltar para a Câmara dos Deputados.

Soberania nacional

O Plenário realizou sessão temática para debater a soberania nacional, as medidas liberais do governo Temer e a importância de um Estado voltado às questões sociais. A sessão foi requerida pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional. Foram convidados vários ex-senadores, que discursaram em Plenário. O primeiro a falar foi Saturnino Braga, ex-senador pelo Rio de Janeiro. O tom da sessão foi de severas críticas às medidas adotadas do governo Temer.

Agenda de desenvolvimento

Durante a apresentação do resultado do Grupo de Trabalho de Reformas Microeconômicas, o presidente do Senado, Eunicio Oliveira, anunciou a Casa adotará uma "agenda positiva para ajudar o desenvolvimento. De acordo com ele, a agenda positiva será apresentada aos líderes partidários na próxima terça-feira (5).

Isenção de visto para os Emirados Árabes

O Senado ratificou acordo feito pelo governo brasileiro com os Emirados Árabes Unidos para permitir a isenção de visto aos cidadãos dos dois países (PDS 215/2017). O acordo permite que nacionais entrem, saiam e transitem pelos territórios sem visto, para fins de negócios e turismo, por até 90 dias a cada período de 12 meses. Foram votados, também nesta mesma sessão, mais cinco pactos internacionais feitos pelo Brasil com outras nações.

Empréstimo para o Espírito Santo

O Plenário aprovou também outras matérias. O PLC 142/2017, que cria e regulamenta o funcionamento do Centro Cultural da Justiça Eleitoral (CCJE), no município do Rio de Janeiro. O PLC 64/2015 determina a data de 31 de janeiro para marcar o Dia Nacional das Reservas Particulares do Patrimônio Natural. O PLC 79/2014 concede ao município de Terra Roxa (PR) o título de Capital Nacional da Moda Bebê. O MSF 70/2017 autoriza o estado do Espírito Santo a contratar operação de crédito externo no valor de US$ 56 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). E foram aprovadas ainda duas indicações feitas pelo Poder Executivo: de Mauro de Moura Magalhães para o cargo de diretor de Administração e Finanças no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e de Fernando Estellita Lins de Salvo Coimbra para a embaixada do Brasil na República do Quênia, cumulativamente com as representações brasileiras em Ruanda, Uganda, Somália e Burundi.

Combustível de aviões

Foi rejeitado o projeto que reduz o ICMS sobre o combustível de aviação. Foram 43 votos a favor e 17 contrários, além de uma abstenção. Para a aprovação, a exigência era de no mínimo 54 votos. A intenção do texto (PRS 55/2015) era fixar o limite de 12% para a alíquota de ICMS sobre o combustível de aviação utilizado em operações dentro do país. A medida valeria para transporte aéreo regular, não regular e de serviços aéreos especializados. O combustível é considerado o item que mais influencia no cálculo dos custos operacionais das companhias aéreas. Atualmente, a alíquota de ICMS sobre combustível varia de 12% a 25%, dependendo do estado onde ocorre o abastecimento.

Composição nutricional de alimentos

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou o PLS 489/2008, que cria selos de diferentes cores indicando a composição nutricional dos alimentos e que serão obrigatórios nos rótulos das embalagens. Pelo projeto, informações nutricionais como os teores de sódio, açúcares totais e gorduras saturadas devem figurar com destaque nos rótulos e serão identificados por selos nas cores verde, amarelo e vermelho, de modo a possibilitar sua imediata e fácil compreensão.

Malha fina da Receita

A CAE aprovou o projeto que faculta ao contribuinte apresentar espontaneamente a documentação que comprova a regularidade das informações constantes da declaração de Imposto de Renda (IR). Isso poderá ser feito mesmo que a pessoa não tenha sido intimada pela Receita Federal. O PLS 354/2017 segue para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Pantanal

Outra proposta aprovada na CAE foi o PLS 750/2011, que cria a Política de Gestão e Proteção do Bioma Pantanal, situado em áreas do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A proposta tem por objetivo reduzir impactos ao meio ambiente e proteger a fauna e a flora da planície alagável no Centro-oeste brasileiro.

Segurança pública na CCJ

Já a CCJ aprovou diversas matérias relacionadas a segurança pública.  A PEC 118/2011 proíbe o contingenciamento de recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). O PLC 8/2016 possibilita o aumento do tempo de pena ao  crime de feminicídio se for praticado em descumprimento de medida protetiva de urgência prevista na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006). O PLC 35/2015 muda a lei sobre o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp) para determinar que os estados e o Distrito Federal encaminhem ao banco de dados taxas de elucidação de crimes. O PLS 320/2015 torna crime o porte de arma branca (faca, canivete, estilete). Já o PLS 224/2017 autoriza o porte de arma de fogo em geral a moradores da zona rural para utilizar na segurança de sua família e propriedade.

Educação na CCJ

A CCJ aprovou projetos relacionados a educação. O PLS 532/2009 obriga a rede pública de ensino a manter professores substitutos para garantir a continuidade do ensino nas hipóteses de afastamento temporário dos docentes. A PEC 80/2007 determina que o presidente da República apresente todos os anos um balanço dos resultados educacionais alcançados no ano anterior e as metas a serem atingidas no ano que começa. E o PLS 397/2013 obriga o servidor público que estiver estudando a comprovar a frequência às aulas para ter direito à concessão de horário especial.

Bioquerosene em aviões

A CCJ também aprovou o projeto que cria o Programa Nacional do Bioquerosene como incentivo à sustentabilidade ambiental da aviação brasileira (PLS 506/2013). O objetivo é promover o desenvolvimento de tecnologia limpa para a produção de biocombustível à base de biomassas, para a sustentabilidade da aviação e a conservação e preservação dos recursos naturais, mas sem concorrer com a produção alimentar no país.

Contaminação por DDT

Também foi aprovada a PEC 17/2014, pela qual antigos servidores da extinta Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (Sucam) poderão receber indenização de R$ 100 mil caso tenham sido contaminados pelo dicloro-difenil-tricloroetano (DDT). A possibilidade de indenização, que também pode beneficiar familiares de funcionários da Sucam já falecidos.

Ajuda aos municípios

A CCJ aprovou ainda PEC 29/2017, um reforço para o caixa do Fundo de Participação nos Municípios (FPM). O texto garante 1% a mais do repasse da União relativo à arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

ICMS de produtos primários

E foi aprovada ainda na CCJ a PEC 37/2007, que retoma a cobrança do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) na exportação de produtos primários (não-industrializados) e semielaborados. O texto vai a Plenário.

Mulheres na Marinha

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou o PLC 147/2017, que libera o acesso às mulheres a todos os cargos de oficiais da Marinha brasileira. Pelo texto, as mulheres poderão ser admitidas nas atividades operativas da Força, podendo integrar o corpo da Armada e o de Fuzileiros Navais, até então restritos apenas a militares do sexo masculino. O PLC vai a Plenário.

Tráfico de tabaco

Também foi aprovada na CRE a adesão do Brasil ao Protocolo para Eliminar o Comércio Ilícito de Produtos de Tabaco, um tratado internacional celebrado na Coreia do Sul em 2012 (PDS 214/2017). O texto vai a Plenário.

Circuito interno de TV em bancos

Os bancos podem ser obrigados a ter circuito interno de televisão. Atualmente, esse tipo de equipamento é opcional, de acordo com a lei que trata da segurança para estabelecimentos financeiros. O projeto que institui essa obrigatoriedade (PLS 231/2017) foi aprovado na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). A matéria vai à CCJ.

Transmissão de sessões de órgãos públicos

Proposta que torna obrigatória a transmissão, em tempo real, de todas as sessões colegiadas dos órgãos públicos dos três Poderes e também do Ministério Público também foi aprovada na CCT (PLS 239/2017). O texto vai à CCJ.

Ciência e tecnologia

A CCT aprovou ainda dois projetos relativos a ciência e tecnologia. O PLS 315/2017 veda o contingenciamento de recursos orçamentários destinados ao desenvolvimento científico e tecnológico. E o PLS 226/2016 restabelece itens vetados pela Presidência da República e mantidos pelo Congresso Nacional no Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei 13.243/2016).

Rádios e TVs educativas

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou o PLC 91/2017, que estende a todas as instituições de ensino superior a possibilidade de receber outorga de canal de rádio ou TV educativa. A outorga de concessões de radiodifusão educativa é regida, atualmente, pelo Decreto-Lei 236/1967, que modificou a Lei 4.117/1962. Ele menciona as “universidades brasileiras” entre as entidades que podem atuar nesse tipo de serviço. Nas últimas décadas, porém, proliferaram outros tipos de instituição de ensino superior que não possuem o estatuto de universidade, como os centros universitários e as faculdades mantidas por associações. Em 2015, uma portaria do Ministério das Comunicações estendeu a possibilidade de outorga de rádios e TVs educativas aos centros universitários e às faculdades isoladas. No entanto, as associações continuaram fora do texto. O projeto altera a redação do Decreto-Lei/1967, trocando “as universidades brasileiras” por “as instituições brasileiras de ensino superior públicas e privadas, bem como suas mantenedoras, inclusive na forma de associações”.

Dia Nacional da Eubiose

O dia 10 de agosto pode ser o Dia Nacional da Eubiose. É o que institui o PLC 125/2017, também aprovado na CE. A data escolhida para essa celebração coincide com a de fundação da Sociedade Teosófica Brasileira. Essa entidade foi criada em 1924 e passou a se chamar Sociedade Brasileira de Eubiose (SBE) em 1969. A intenção do PLC é homenagear o trabalho realizado pela SBE em prol do desenvolvimento cultural e espiritual da sociedade brasileira. Essa missão seria concretizada, entre outras medidas, por ações educativas, culturais e sociais em prol da criança e do adolescente.

Jovens senadores

Os 27 estudantes selecionados por meio de concurso de redação participaram esta semana da 7° edição do Projeto  Jovem Senador. Eles conheceram o Senado, elegeram uma "Mesa", realizaram reuniões em comissões e no Plenário, e ainda apresentaram propostas que, se aprovadas pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), tramitarão como projetos de lei. O Jovem Senador é um projeto anual que seleciona, por meio de um concurso de redação, 27 estudantes do ensino médio de escolas públicas estaduais, com idade até 19 anos, para vivenciarem o trabalho dos senadores em Brasília. Várias sugestões legislativas apresentadas pelos estudantes já foram convertidas em projetos de lei e tramitam nas comissões do Senado. A lista completa dos alunos vencedores do Jovem Senador 2017 está no site do projeto.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Administração Pública África Alimentos Animais Assistência Social Banco Interamericano de Desenvolvimento Bancos Brasil Brasília Burundi CAE Câmara dos Deputados CAS CCJ CCT CDH CE CI Cidadania Ciência e Tecnologia Comércio Comércio Eletrônico Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa Comissão de Educação, Cultura e Esporte Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional Comissões Comunicação Congresso Nacional Constituição Coreia do Sul CRE Crédito Cultura Defesa Nacional DEM Desenvolvimento Direitos da Mulher Direitos Humanos Distrito Federal Dnit Drogas Educação Embaixadores Emirados Árabes Ensino Médio Ensino Superior Escolas Espírito Santo Esporte Estados Estudantes Família Feminicídio Fiscalização FPM ICMS Imposto de Renda Inadimplência Indústria Infraestrutura IPI IR ISS Itamaraty Jovem Senador Justiça Justiça Eleitoral Lei de Responsabilidade Fiscal Lei Maria da Penha Mato Grosso Mato Grosso do Sul Medicamentos Meio Ambiente Mineração Ministério Público Municípios Pantanal Pará Partidos Política População de baixa renda PR Presidência da República Presidente da República Previ Professores PSD PSDB Quênia Radiodifusão Receita Federal Rede Relações Exteriores Rio de Janeiro Ruanda Saúde Saúde Pública Segurança Segurança Pública Senador Eunício Oliveira Senador Flexa Ribeiro Senador Omar Aziz Senador Roberto Requião Sessão Temática Somália SUS Sustentabilidade Tecnologia Trabalho Transporte Aéreo Transportes Tribunal Superior Eleitoral TSE Turismo Uganda União