Endometriose: sintomas e mais 4 esclarecimentos importantes

08/05/2018 12:39

Na data escolhida como o Dia Nacional de Luta Contra a Endometriose, 8 de maio, é importante saber mais sobre essa doença que atinge cerca de 10% da população feminina em idade fértil.

São mais de 170 milhões de mulheres no mundo que apresentam endometriose, durante seu período mais produtivo e em sua fase reprodutiva, segundo dados do World Endometriosis Research Foundation. A Associação Brasileira de Endometriose fala em 7 milhões de mulheres apenas no Brasil, embora não existam dados oficiais. Entenda o problema:

O que é endometriose?

endométrio é uma camada de tecido composto por glândulas e estroma que recobre a cavidade interna do útero. Ele é o responsável pela menstruação quando descama ao final de um ciclo menstrual. A endometriose é uma doença em que o tecido endometrial é encontrado fora do útero.

Quais são os sintomas?

A forma como a endometriose acontece em cada mulher pode variar, sendo menos severa às vezes, mas, em outros casos, apresentando alguns sintomas graves. Pode causar cólica menstrual intensa, dor profunda na vagina durante a relação sexual, dor pélvica contínua, constipação intestinal, dor para evacuar e urinar. Além disso, pode ocasionar outras complicações, como a depressão e a infertilidade.

É possível engravidar se tiver endometriose?

Sim, é possível engravidar mesmo apresentando endometriose. Porém, pode haver maior dificuldade, então é recomendado acompanhamento médico para o tratamento da endometriose e da infertilidade.

Como é o tratamento da endometriose?

É importantíssimo consultar periodicamente o ginecologista e realizar exames que detectam o problema, como ultrassonografia transvaginal e ressonância magnética. A confirmação da endometriose é feita por meio da realização de biópsias na videolaparoscopia. Alguns tratamentos com medicamentos são realizados com base nos sintomas que começam a partir da adolescência, além de exames específicos, sendo assim, uma forma de prevenção secundária. Em alguns casos mais extremos, uma intervenção cirúrgica pode ser necessária.

Que hábitos podem ajudar a melhorar a qualidade de vida?

Como para qualquer doença crônica, para melhorar a qualidade de vida é recomendado ter hábitos que ajudem na redução dos sintomas da doença, como dormir com qualidade, praticar atividades físicas regularmente e diminuir fontes de estresse. Consumir alimentos ricos em ácidos graxos essenciais do tipo ômega 3, como chia, linhaça e sardinha também auxiliam na modulação da inflamação crônica e na diminuição das cólicas. Além disso, alimentos ricos em magnésio e cálcio, como folhas verdes escuras, brócolis e amêndoas podem contribuir na melhora dos sintomas.

Workshop sobre endometriose

Essa doença ginecológica impacta profundamente a saúde física e psicológica, bem como a vida social e profissional de milhões de mulheres. Apesar da alta incidência, o diagnóstico raramente fornece uma resposta definitiva e os tratamentos no Brasil ainda não chegam para todas. Os exames e os profissionais especializados não são acessíveis como deveriam.

Neste cenário, nasceu o “Workshop de Design Thinking sobre Endometriose”, realizado pela DUCO Design Intelligence, em parceria com a Johnson&Johnson Medical Devices e a Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal, a fim de debater possíveis políticas públicas para o tema.

Informe-se mais, confira o relatório completo sobre a iniciativa e ajude a divulgar essa campanha de conscientização: #LutaContraAEndometriose #EndometrioseNaoÉMimimi

Fonte: http://www.mulher.com.br/