25/09/2015
Manifestações de rua 2015
Enquete do Datasenado revela a corrupção como o principal motivo para a participação nos protestos de 16 de agosto

Resultados da enquete online, feita pelo DataSenado/Agência Senado, revelam quatro dos principais motivos que levaram internautas a participar das manifestações de rua em 16 de agosto de 2015. Corrupção e impeachment da presidente Dilma foram a motivação para os protestos de 76% e 75%, respectivamente, 59% protestaram contra os gastos do governo e 53% contra o aumento de impostos. 86% dos respondentes avaliam a situação econômica do país como ruim ou péssima e 93% declaram-se insatisfeitos ou muito insatisfeitos com a atual situação política do país.

A enquete revelou também que metade dos respondentes vê com otimismo a participação popular nas manifestações - 51% acreditam que, após as manifestações, o Brasil deve melhorar. E 41% defenderam que o Congresso Nacional deve priorizar medidas para combater a corrupção.

A sondagem foi feita por internet, de 17 de agosto a 15 de setembro, pelo DataSenado em parceria com Agência Senado, e teve participação de 6.943 internautas. Foram avaliados temas como maior ou menor interesse dos brasileiros pela política nacional, avaliação da situação econômica e política do país, democracia e os principais motivos que levaram as pessoas a protestar nas ruas do Brasil. Peculiaridades de enquetes online, no entanto, fazem com que o universo pesquisado não seja representativo da população brasileira, e sim registro da opinião do grupo de usuários de internet e redes sociais que participaram do levantamento.

Entre os 53% dos respondentes que afirmam ter participado das manifestações no dia 16 de agosto de 2015, 76% protestaram contra a corrupção, 75% a favor do impeachment da presidente; 59% e 53%, respectivamente, contra os gastos do governo e o aumento de impostos. Nesta pergunta era possível escolher mais de uma opção de resposta.

O incômodo com a corrupção, apontado na enquete como o principal motivo para participação nas manifestações de rua, aparece também no espaço Comente o Projeto, da página do Datasenado, em mensagens de cidadãos, como registrou, por exemplo, Elimar Duarte Moura: ”Gostaria de deixar minha opinião: Ou nós acabamos com a corrupção ou a corrupção acabará com nosso país ..." (sic)

Quando perguntados sobre os principais motivos que podem ter levado as pessoas em geral a protestar nas ruas, 79% de 6.943 internautas acreditam que a corrupção tenha incitado os protestos, seguido pelo impeachment da presidente, motivo citado por 70% dos internautas. Nesta pergunta também era possível escolher mais de uma opção de resposta.

Para 82% dos internautas, a participação do brasileiro na política nacional aumentou. Neste sentido, 68% dos respondentes participaram das outras manifestações, sendo que 22% afirmam ter participado de outras duas, 17% de outras três e 14% participaram de outras quatro manifestações ou mais.

Para 41%, medidas de combate à corrupção devem ser priorizadas pelo Congresso Nacional. A Reforma Política, atualmente em discussão no Legislativo, aparece em segundo lugar, com 21%, seguida por cortes de gastos públicos, citado por 13% dos participantes.

Sobre a atual situação econômica do país, outro aspecto investigado, 86% a consideram como péssima; 26% como ruim e 11% como regular. Para 3% dos participantes, no entanto, a atual conjuntura da economia brasileira é boa.

Maioria expressiva - 83% - tem expectativa de que o desemprego vai aumentar nos próximos meses. Essa percepção é maior entre as pessoas do lar, autônomos e desempregados, quando alcança 88%.

Quando perguntados sobre o desenvolvimento do país, de maneira geral, 64% afirmam que o país está regredindo, 21% consideram-no parado e 14% que está progredindo. Há quase unanimidade dos respondentes em relação à situação política do país - 93% apontam insatisfação.

Apesar da insatisfação com a situação política e econômica do país, para 80% de respondentes, a democracia é sempre a melhor forma de governo. Além disso, 51% acreditam que, após as manifestações, o Brasil vai melhorar.

Finalmente, sobre o cumprimento de leis e respeito aos direitos, 11% dos internautas que participaram da enquete acreditam que os brasileiros cumprem as leis e 68% que cumprem apenas “em parte”; 60% apontaram que os brasileiros defendem apenas “parcialmente” seus direitos; e 45% acreditam estar “mais conscientes” dos seus direitos e deveres.

Perfil dos participantes da enquete

A maioria dos participantes da enquete, 64%, declara ter alto interesse por política. Apenas 5% disse ter baixo ou nenhum interesse e outros 31% declaram ter interesse intermediário pelo tema política.

A enquete revela também percepção bem realista dos respondentes em relação a sua condição econômica/renda bruta mensal. Assim, numa escala de 1 a 10, onde no 1 se encontram os mais pobres e no 10 os mais ricos, os participantes que afirmam não ter renda e os que recebem até 2 salários - 77% e 64%, respectivamente - se inseriram no 1 e 2 da escala. E 72% dos que recebem mais de 10 salários mínimos marcaram 10, que é o indicador dos que se consideram mais ricos.

Quanto à escolaridade dos participantes da enquete, 5% têm apenas ensino fundamental, e 32%, 35% e 28%, respectivamente, tem ensino médio, superior completo e pós-graduação.

Dos 6.943 internautas que responderam à enquete, 66% são homens, 34% mulheres. O público na faixa etária de 30 a 39 anos corresponde a 23% dos participantes, seguido dos que têm 40 a 49 anos com 17%, de 50 a 59 anos, com 16% e na faixa etária de 60 anos ou mais, 18%. Os jovens entre 16 e 19 anos correspondem a 5% dos participantes. Ainda, 46% dos respondentes moram na região Sudeste, 18% na região Sul, 17% na região Nordeste e 15% e 4% moram nas regiões Centro-Oeste e Norte, respectivamente.

Os resultados da enquete representam a opinião das pessoas que votaram, não sendo possível extrapolá-los para toda a população brasileira.