Ferramentas Pessoais
Acessar

Relatório de atividades da Procuradoria Especial da Mulher do Senado é entregue ao presidente Renan Calheiros

09/03/2016 19:17

 

Aconteceu hoje, na sala de reuniões da presidência do Senado, cerimônia de entrega do Relatório de Atividades 2015 da Procuradoria Especial da Mulher do Senado (ProMul) ao presidente Renan Calheiros como prestação de contas do órgão subordinado à Presidência da Casa.

O documento foi entregue pela a procuradora Especial da Mulher, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que afirmou: “Precisamos mostrar o quanto estamos trabalhando para unificar as mulheres na luta pela democracia, e a importância das estruturas que o Parlamento tem nos disponibilizado. Hoje quem luta pelos direitos da mulher é o próprio Senado Federal”, destacou a senadora ao entregar o relatório.

Renan Calheiros iniciou o agradecimento falando sobre o compromisso que tem com a Procuradoria da Mulher do Senado, uma das propostas apresentadas por ele em 2013 ao lançar sua candidatura ao cargo. “É com orgulho que eu digo que o desempenho das mulheres na Casa tem sido imprescindível para os resultados obtidos no Senado”, afirmou.

O coordenador-Geral de Operações do Banco Mundial, Boris Utria, grande parceiro da Procuradoria da Mulher do Senado, esteve presente prestigiando o evento e lembrou dos eventos que participou em parceria com a bancada feminina do Congresso, em especial os encontros do Pauta Feminina. “O tema de gênero em sua dimensão incorporado em projetos de educação, infraestrutura e política são fundamentais. É com muita honra que sigo nessa parceria”, finalizou.

A publicação tem 90 páginas e mostra as atividades do órgão. No total, foram realizadas 85 atividades, sendo 51 eventos; quatro exposições; 10 edições do projeto Pauta Feminina; duas oficinas de saúde da Mulher – autonomia no corpo e na vida; 12 lançamentos da campanha Mais Mulheres na Política nas capitais e seis lançamentos da campanha em cidades do interior.

Devemos ressaltar que este documento representa muito mais do que uma simples e burocrática prestação de contas de um órgão interno desta Casa. Ele contém um pedaço da história das mulheres brasileiras, tanto as lideranças políticas muito conhecidas, quanto as anônimas. Estão ali as que ocuparam lugar de fala em encontros e reuniões nos gabinetes dos três poderes da República ao lado das que marcharam com disposição e energia no asfalto da Esplanada dos Ministérios, trazendo a Brasília as expectativas das milhões de brasileiras, na luta por equidade na representação política em todas as instâncias de poder; pelo direito de igualdade e contra a opressão de gênero, raça, idade, orientação sexual, crença religiosa, classe social e deficiência física ou mental  Mulheres pelo respeito aos direitos humanos e contra todo tipo de violência e em favor do efetivo cumprimento da Lei Maria da Penha e pela garantia de direitos sociais nas áreas de saúde, trabalho, educação, cultura, esporte e lazer.

Também prestigiaram o evento as senadoras Simone Tebet (PMDB-MS), Gelisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN), Regina Sousa (PT-PI), Ana Amélia (PP-RS); as deputadas Dâmina Pereira (Sem partido-MG), Carmen Zanotto (PPS-SC), Jô Moraes (PT-MG), Conceição Sampaio (PP-AM), Laura Carneiro (PMDB-RJ), Clarissa Garotinho (PR-RJ) e a diretora-Geral do senado Ilana Trombka.

 

Crédito da foto: Marcelo Favaretti