Ferramentas Pessoais
Acessar

Procuradoras creem que campanha vai estimular participação feminina nas eleições

A campanha Mulher na Política do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é um importante instrumento para estimular a participação feminina na política e alcançar a equidade de gênero no Congresso Nacional, nas assembleias legislativas e nas câmaras de vereadores. A avaliação foi feita pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), titular da Procuradoria Especial da Mulher no Senado, durante sessão solene nesta quinta-feira (31).
01/04/2016 12:22

A campanha Mulher na Política do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é um importante instrumento para estimular a participação feminina na política e alcançar a equidade de gênero no Congresso Nacional, nas assembleias legislativas e nas câmaras de vereadores. A avaliação foi feita pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), titular da Procuradoria Especial da Mulher no Senado, durante sessão solene nesta quinta-feira (31).

— Estamos escrevendo a história e rompendo paradigmas.  Devemos elevar nossa voz e esclarecer a cada dia mulheres e homens a respeito de dogmas impetrados pela cultura patriarcal que conseguiu impor limites ao protagonismo das mulheres — disse Vanessa.

Para a senadora, o Congresso hoje não espelha a realidade da sociedade. Ela defendeu uma reforma política que garanta uma composição mais plural:

— Do que precisamos efetivamente é de uma reforma política profunda que permita que o Parlamento brasileiro seja o espelho da nossa sociedade na sua composição — disse a senadora, ao registrar o baixo número de negros, mulheres e operários com cargos eletivos.

Assim como Vanessa Grazziotin, a procuradora da Mulher na Câmara dos Deputados, deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), observou que o Brasil tem uma das taxas mais baixas do mundo de presença de mulheres em cargos eletivos.  Segundo ela,  ainda existe muito preconceito contra as mulheres na política.

— A própria mulher cria barreiras para votar nas mulheres — apontou.

A deputada afirmou que muitos partidos não dão visibilidade às campanhas das mulheres nas eleições.

— Somos mais da metade do eleitorado e ainda precisamos pedir, suplicar que nos deem espaço — disse a deputada.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fotos: Edilson Rodrigues/Agência Senado