Paternidade ativa e consciente: Câmara dos Deputados discute licença parental

09/12/2015 09:36

A Frente Parlamentar da Primeira Infância e a Frente Parlamentar de Saúde do Homem, em parceria com o Ministério da Saúde, promoveram nesta terça-feira, 8/12, uma reunião estratégica sobre licença parental para promoção do desenvolvimento humano. O debate foi presidido pela deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), que é vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância e abriu o evento destacando a importância de investirmos em políticas públicas sociais, “enquanto olharmos as políticas públicas como despesas, o país não avança. Olhar como investimos vai nos ajudar a ter uma sociedade mais justa e mais igualitária”.

Representantes da Men for Gender Equality, da Suécia, Tomas August Agnemo e Viddar Alexander Vetterfalk, falaram sobre a experiência da licença parental vivida na Suécia, uma licença de 1 ano e 4 meses, que pode ser dividida entre os pais, sendo que dois meses são reservados exclusivamente para o homem. “O que percebemos é que os pais são importantes na primeira infância das crianças e o nosso maior desafio é que eles entendam isso”, destacou Tomas.

Segundo eles o envolvimento dos pais desde a descoberta da gravidez, passando pelo nascimento, pelos primeiros dias de vida e por toda a primeira infância, ajuda a formar crianças mais desenvolvidas, diminui a violência baseada na diferença de gênero, e proporciona maior saúde para toda a família.

A pediatra Viviane Castello Branco, representando a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e GT Paternidade – RNPI, destacou a experiência da prefeitura do Rio da Janeiro no projeto Comitê Vida, um projeto de políticas publicas voltadas para o cuidado, com ênfase na participação dos pais nos serviços públicos. “A paternidade cuidadora contribui para a vida da criança, do casal, do próprio homem e da sociedade”, destacou.

Também estiveram presentes os deputados Jorge Silva (PROS-ES), Geraldo Resende (PMDB-MS) e Givaldo Carimbão (PROS-AL); a coordenadora Nacional de Saúde do Homem do Ministério da Saúde, Angelita Herrmann; a secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Heloíza Egas; Marco Aurélio Martins, representante do Instituto Promundo e GT Paternidade – RNPI e o presidente nacional da Rede Nacional da Primeira Infância, Claudius Ceccon.

 

Foto: Sarah Cândido/Câmara dos Deputados