Exposição Sempre Mulher é lançada no Senado

06/10/2015 18:52

A mostra faz parte do calendário de atividades da campanha Outubro Rosa contra o Câncer de Mama 2015 e foi inaugurada nesta terça-feira, 6/10, no Espaço Galeria do Senado.

A exposição retrata 12 mulheres da Recomeçar, entidade de mulheres Mastectomizadas de Brasília, apresentadas em imagens ao lado de breves depoimentos, numa abordagem positiva e de superação da doença.

As fotografadas estavam presentes ao lado das senadoras Ana Amélia (PP-RS) e Regina Sousa (PT-PI); da deputada federal Érika Kokay (PT-DF); de  Ilana Trombka, diretora-geral do Senado, e de Joana Jeker, presidente da Recomeçar.

A senadora Ana Amélia ressaltou a importância da lei relatada por ela (Lei 12.802/2013), que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a fazer a cirurgia plástica reparadora da mama logo em seguida à retirada do câncer, quando houver condições médicas, e afirmou que “a campanha vem alertar as mulheres e os homens também, pois elas precisam ser apoiadas nesse momento tão complicado”.

“Sabemos como o câncer é devastador. A gente sabe o significado da mama para uma mulher, e essa doença não destrói somente o corpo, mas também a alma feminina. E nós precisamos reforçar que é possível alcançar a cura e é preciso fazer a prevenção” defendeu a senadora Regina Sousa.

Érika Kokay parabenizou as mulheres fotografadas “que transformaram suas dores e cicatrizes da doença em instrumento de luta”. A parlamentar registrou o simbolismo da cor rosa da campanha para sinalizar a necessidade de ter acesso ao diagnóstico precoce para que todas as mulheres acometidas pela doença possam ter o tratamento e a exemplo das fotografadas sejam também vitoriosas.

Joana Jeker destacou o cenário do Brasil onde alguns estados ainda não têm atendimento oncológico e reforçou a importância de sensibilizar todos parlamentares para que eles e elas cuidem das mulheres de seus estados. “Nós queremos com a exposição disseminar informações e quebrar tabus ainda existentes em torno do câncer de mama”, afirmou. Já Ilana Trombka, diretora-geral do Senado espera que “daqui alguns anos o seio seja somente um sinal de vida”, por que a vida de nossos filhos começa pela amamentação.