Regulamentação de aplicativos de transporte foi destaque na semana

Da Redação | 03/11/2017, 13h53 - ATUALIZADO EM 01/03/2018, 14h24

Selo_Aconteceu_no_SenadoVeja aqui como foi a semana de debates e votações no Senado.

Aplicativos de transporte

O Plenário do Senado aprovou com alterações o PLC 28/2017, que regulamenta os serviços de transporte que usam aplicativos, como Uber, Cabify e 99. Foram 46 votos favoráveis, 10 contrários e uma abstenção. O texto volta à análise da Câmara. O relator, senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), acatou três das 20 emendas apresentadas. Duas foram decididas por acordo dos líderes partidários. Elas retiram a obrigatoriedade do uso de placas vermelhas e a exigência de que o condutor seja proprietário do veículo. Também foi aprovada emenda que atribui ao município apenas a competência para fiscalizar o serviço dos aplicativos, retirando das prefeituras o papel de autorizar o exercício da atividade como estava previsto no texto original da Câmara. Esse é o ponto principal do PLC, para o qual empresas como o Uber são prestadoras de serviço público, dependentes de regulamentação, e que os motoristas precisariam de permissão para trabalhar. O PLC aprovado ainda prevê que os motoristas devem ter Carteira Nacional de Habilitação na categoria B ou superior; inscrição como contribuinte individual no INSS; e seguros de Acidentes Pessoais a Passageiros (APP) e Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT).

Prevenção e tratamento de câncer

O Plenário aprovou dois projetos relacionados à prevenção e tratamento de câncer em mulheres. O PLC 20/2017 determina que equipes de profissionais das redes de proteção social e atenção básica à saúde busquem mulheres que enfrentam dificuldades para fazer exames preventivos e de rastreamento de câncer de útero e de mama para que possam realizá-los. A garantia já consta na Lei 11.664/2008, sobre tratamento de câncer no Sistema Único de Saúde (SUS), mas o PLC determina que haja uma busca ativa dessas mulheres. Já o PLC 5/2016 torna obrigatória a reconstrução mamária gratuita em casos de mutilação decorrente de tratamentos de câncer. A novidade em relação à lei em vigor é que a plástica deverá ser feita nos dois seios, mesmo se o tumor se manifestar em apenas um, garantindo assim a simetria.

Mamografias

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou o PDS 42/2015, para sustar dispositivo de portaria do Ministério da Saúde que cria dificuldades para o acesso de mulheres com idade entre 40 e 49 anos de idade ao exame de mamografia pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Lei 11.664, de 2008, garante no âmbito do SUS a realização de mamografia — destinada ao rastreamento de câncer nas mamas — para todas as mulheres a partir dos 40 anos de idade. Porém, a portaria questionada mudou a fonte de recursos destinada ao exame de acordo com duas faixas etárias específicas, com inclusão no âmbito do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (Faec) apenas dos exames para as mulheres com idade entre 50 e 69 anos. O texto vai a Plenário.

Acordos internacionais

O Plenário aprovou dois acordos internacionais na área da educação entre o Brasil e Angola (PDS 173/2017) e com a Comunidade de Dominica (PDS 164/2017).

Orçamento 2018

O governo enviará ao Congresso Nacional uma revisão da Proposta de Lei Orçamentária Anual para 2018 (PLN 20/2017). Além disso, foram editadas duas medidas provisórias (MPV 805/2017MPV 806/2017) com objetivo de reduzir as despesas e aumentar as receitas, a fim de tentar equilibrar as contas públicas. Uma das MPs aumenta a contribuição previdenciária de parte dos servidores dos três Poderes e adia para 2019 reajustes salariais no Executivo. A outra eleva impostos cobrados de fundos de investimento exclusivos. A revisão foi feita porque, ao encaminhar o Orçamento em 31 de agosto, ainda não havia sido aprovada pelo Congresso a alteração da meta fiscal para este ano e para o próximo (Lei 13.480/2017). Com isso, a possibilidade de deficit primário em 2017 (R$ 139 bilhões) e em 2018 (R$ 129 bilhões) foi aumentada para R$ 159 bilhões em cada ano. Ao anunciar a revisão, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que a medida não prejudicará o processo de discussão e aprovação da proposta pelo Congresso.

Pessoas com deficiência

A CCJ também aprovou a PEC 25/2017, que uniformiza, na Constituição, as menções às pessoas com deficiência. A matéria reformula dispositivos do texto constitucional para adequá-los aos termos da Convenção Internacional sobre o Direito das Pessoas com Deficiência, ao utilizar a expressão “pessoa com deficiência”. A PEC segue agora para dois turnos de discussão e votação no Plenário.

Direitos dos índios

O Diploma Mulher-Cidadã-Bertha Lutz deverá premiar anualmente pelo menos uma pessoa que tenha atuação na causa indigenista. É o que determina o PRS 36/2016, aprovado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), que segue para análise da Comissão Diretora do Senado.

Mercosul e União Europeia

Um acordo entre Mercosul e União Europeia (UE) pode sair até o final do ano. Antes, é preciso superar barreiras no comércio de carne, etanol e outros produtos agrícolas. Parlamentares europeus e brasileiros discutiram o tema na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) na terça-feira (31). Em visita à comissão, 14 parlamentares europeus conversaram com senadores e deputados sobre o acordo comercial entre os dois blocos. As negociações para a criação de um acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul começaram em 1999. E estão numa fase decisiva.

CPI da JBS

O ex-diretor de Relações Institucionais da empresa J&F, Ricardo Saud, recusou-se a responder perguntas de senadores e deputados durante reunião da CPI mista da JBS, na terça-feira (31). A CPI investiga irregularidades em contratos entre a empresa dos irmãos Joesley e Wesley Batista e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No início da reunião, Ricardo Saud fez um breve pronunciamento, avisando que permaneceria em silêncio.

O presidente da CPI, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), chegou a propor que a reunião fosse reservada, com a presença apenas de parlamentares. Mas Saud afirmou que, ainda assim, não responderia aos questionamentos.

Ministro da Fazenda

Criar empregos é a melhor forma de combater a fome, afirmou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em audiência interativa na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A audiência foi solicitada pelos senadores Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) para discutir o retorno do Brasil ao Mapa da Fome e as medidas recentes do governo de Michel Temer na economia.

Cidadãos enviaram centenas de perguntas pelo portal e-Cidadania e pelo Alô Senado. O presidente da CAE, Tasso Jereissati (PSDB-CE), leu as consideradas mais representativos. Um dos mais frequentes dizia respeito à situação da Previdência. Embora o governo aponte deficit, a CPI sobre o tema no Senado concluiu que há superávit. Meirelles atribuiu a divergência aos métodos de cálculo, mas assegurou que o deficit é um fato. Segundo ele, a aprovação da reforma é crucial para o cumprimento do teto de gastos previsto pela Emenda Constitucional 95 para os próximos 20 anos.

Lei Kandir

O senador Wellington Fagundes (PR-MT) apresentou seu relatório na comissão mista que analisa mudanças na Lei Complementar 87/1996 (Lei Kandir). Foi concedida vista coletiva e a votação do texto será na próxima terça-feira (7), às 14h. A proposta apresentada por Fagundes estabelece uma regra estável para compensar os estados pela perda de arrecadação com a desoneração de produtos primários e semielaborados para exportação. Pelo projeto, serão distribuídos R$ 9 bilhões, em valores de 1º de julho de 2017, aos estados e municípios. A transferência será realizada em 12 parcelas mensais, na proporção de 75% para os estados e 25% para os respectivos municípios.

Reforma Protestante

Em sessão especial, o Senado Federal celebrou os 500 anos da Reforma Protestante, movimento iniciado em 31 de outubro de 1517, quando o monge agostiniano Martinho Lutero afixou 95 teses teológicas, como a contrária à cobrança de indulgências, na porta da Igreja de Wittemberg, na Alemanha. Durante a solenidade, religiosos e senadores enfatizaram a contribuição de Lutero e dos demais reformadores protestantes pela educação e a igualdade.

Dalcidio Gaulk, pastor Sinodal da Igreja Luterana, lembrou que uma das grandes contribuições de Lutero foi a defesa da livre interpretação da Bíblia, até então restrita a membros do clero.

Forças Armadas

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) realizou audiência pública sobre o papel das Forças Armadas. O tema “Reestruturação da Defesa Nacional: Reflexões sobre o preparo e o emprego das Forças Armadas no século XXI” foi o 15º painel do ciclo de debates "O Brasil e a Ordem Internacional: Estender Pontes ou Erguer Barreiras?", realizado pela CRE ao longo do ano. A reunião foi comandada pelo vice-presidente da CRE, senador Jorge Viana (PT-AC). A senadora Ana Amélia (PP-RS) também participou.

Direitos de índios e quilombolas

As violações aos direitos indígenas e quilombolas foram debatidas na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). O coordenador-executivo da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, Mario Nicácio, destacou que a relação do Estado com os povos indígenas no Brasil ainda é marcada pela violência e pela violação de direitos. Já o representante das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, Denildo de Moraes, observou que o índice de homicídios de jovens negros nas capitais é um dos mais alarmantes da história. Para o senador João Capiberibe (PSB-AP), ainda há muito preconceito com essas minorias, apesar da miscigenação brasileira.

Restauração de rios

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) realizou, na terça (31), audiência pública para debater a revitalização de bacias hidrográficas, política pública que os senadores acompanham ao longo deste ano. Representante do Instituto Aplysia, Tatiana Furley explicou que a restauração de rios é cada vez mais comum na Europa e apresentou detalhes do trabalho que está sendo feito pelo instituto no Rio Mangarai. Segundo ela, há hoje cerca de 800 casos de restauração de rios na Europa, nos Estados Unidos e no Canadá, a exemplo do que está sendo feito no Brasil pelo instituto.

Já o professor Apolo Heringer Lisboa, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explicou que a crise hídrica que vivemos hoje é fruto de 30 anos de mau uso das águas subterrâneas. O professor disse que o desmatamento zero como única solução para a falta de água crônica, um problema cada vez mais frequente em nosso país.

Recuperação econômica

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, afirmou que o país vive um período de desinflação e recuperação econômica, após dois anos de recessão. Em sua avaliação, esse cenário só é possível porque, ultrapassada a fase de incertezas, o empresariado deixa de repassar a variação dos custos ao reajustar os preços ao consumidor. Goldfajn participou de audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO) que debateu as políticas monetária, creditícia e cambial adotadas pelo Banco Central.

Ele aproveitou a audiência púlbica para defender a aprovação, pela Câmara, de proposta que estimula a inclusão de dados nos cadastros positivos de crédito — PLS 212/2017, do senador Dalírio Beber (PSDB-SC). O presidente do BC disse acreditar que a iniciativa deve ampliar o acesso ao crédito e, portanto, a expansão do consumo.

Parcerias

Parcerias com o setor privado são uma das alternativas para o país driblar a escassez de recursos para investimento em pesquisa e tecnologia no setor agropecuário, disseram os participantes de audiência pública da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA). O diretor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), Luiz Gustavo Nussio, lembrou que a França é um bom exemplo a ser seguido, visto que boa parte da riqueza no campo naquele país foi obtida com trabalho de parceria.

Dia do Feirante

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou, nesta terça-feira (31) requerimento para a realização de audiência pública destinada a promover consulta sobre proposta de  intituir o Dia Nacional do Feirante, a ser comemorado no dia 25 de agosto. O autor, senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) afirmou que a atividade de feirante é de inegável relevância cultural, econômica e social para o país.

Doenças raras

A Subcomissão Especial sobre Doenças Raras ouviu as propostas do Ministério da Saúde, da Anvisa e de associações de pacientes para elaborar um projeto que defenda os direitos das pessoas com doenças graves. O colegiado, criado no âmbito da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), tem como objetivo propor iniciativas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com doenças raras, que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atingem mais de 13 milhões de brasileiros.

Biocombustíveis

O uso de biocombustíveis como alternativa para a redução da emissão de carbono foi defendido por participantes de audiência pública da Comissão Mista Permanente de Mudanças Climáticas (CMMC). A substituição dos combustíveis fósseis pelos biocombustíveis reduz em mais da metade a emissão de CO2, podendo os índices serem ainda maiores dependendo do tipo de biocombustível.

BR-101

Pressionado por uma solução imediata para a quebra de contrato por parte da empresa Eco101, responsável pela concessão da BR-101 no Espirito Santo, o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Luiz Macedo Bastos, disse que a agência tem tomado providências para que as obras de duplicação da rodovia sejam entregues. Bastos, que participou de audiência pública da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), admitiu a possibilidade de rever a concessão e realizar novo leilão da rodovia, mas enfatizou que o processo leva tempo.

Guarda Mirim

Dirigentes da Guarda Mirim do Distrito Federal, projeto social sem fins lucrativos, reivindicam a inclusão da organização na base de programas sociais apoiados pelos governos distrital e federal, além de parcerias com o setor privado para que a entidade possa manter suas ações de apoio a crianças e adolescente em localidades carentes no entorno de Brasília. O apelo foi feito em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), realizada com o objetivo de divulgar o trabalho da organização social.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
ANS ANTT Agricultura Alemanha Angola Anvisa Arte BNDES Banco Central Biocombustíveis Brasil Brasília CAE CAS CCJ CDH CE CI CMA CMMC CMO CPI CRA CRE Canadá Cidadania Combustíveis Comissão Diretora Comissão Mista de Orçamento Comissão de Agricultura Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Assuntos Sociais Comissão de Constituição e Justiça Comissão de Direitos Humanos Comissão de Educação Comissão de Infraestrutura Comissão de Meio Ambiente Comissão de Relações Exteriores Comércio Congresso Nacional Constituição Consumidor Contas Públicas Crise hídrica Crédito Cultura Câncer DEM DPVAT Defesa Nacional Desenvolvimento Desmatamento Desoneração Direitos Humanos Distrito Federal Doenças Raras Dominica Economia Educação Emenda Constitucional Emprego Empresas Entorno Esporte Espírito Santo Estados Estados Unidos Europa FAT Fome Forças Armadas França História INSS IPI IR ISS Ilan Goldfajn Indígenas Inflação Infraestrutura Justiça LDO Lei Kandir Lei Orçamentária Leilão Meio Ambiente Mercosul Meta fiscal Michel Temer Minas Gerais Ministério da Saúde Mudanças Climáticas Municípios ONU Organização Mundial da Saúde Orçamento PIB Pessoas com Deficiência Plenário do Senado Política Portal e-Cidadania Povos Indígenas Previ Previdência Qualidade de Vida Quilombolas Rede Reforma Agrária Relações Exteriores Relações Institucionais SUS Saúde Senado Federal Senador Ataídes Oliveira Senador Dalirio Beber Senador Eduardo Amorim Senador Eduardo Lopes Senador Jorge Viana Senador João Capiberibe Senador Wellington Fagundes Senadora Ana Amélia Serviço Público Sistema Único de Saúde São Paulo Tecnologia Teto de Gastos Trabalho Transportes Uber União União Europeia Violência Água