Arthur Virgílio Filho, mesmo derrotado pelos golpistas, manteve oposição à Ditadura

Da Redação | 27/03/2014, 20h30 - ATUALIZADO EM 09/01/2020, 17h43

O senador Arthur Virgílio Filho foi um dos principais defensores, no Congresso, do mandato do presidente João Goulart em 1964. Em embates acirrados com os líderes udenistas, o senador do PTB do Amazonas procurava demonstrar que Jango não tinha inclinações comunistas, mas apenas defendia a justiça social. Eloquente, Arthur Virgílio procurava desmontar os argumentos das forças de oposição. Algumas vezes duramente. De toda forma, o senador tentava diminuir a temperatura política no Congresso, cujo clima, em março de1964, já era de completo acirramento.

Arthur Virgílio Filho disputou a primeira eleição, em 1947, para deputado estadual, pelo PSD. Mas logo ingressou no PTB, partido em que permaneceria até a instituição do bipartidarismo, quando filiou-se ao MDB.  Buscou exercer a oposição institucional à ditadura enquanto isso foi possível. Foi cassado pelo AI-5, em 1969, que retirou seus direitos políticos por uma década, até a anistia.

Na redemocratização, exerceu a presidência do Instituto Nacional de Previdência Social, cargo que ocupava quando faleceu em 1987, aos 66 anos.



Relacionadas:

Hotsite da Agência Senado reconta a história de 64

Memórias de 1964: senadores relembram momentos que antecederam o Golpe Militar

Golpe de 1964: o papel desempenhado pelos parlamentares

Filinto Muller serviu a duas ditaduras

Vice-presidente civil foi impedido de assumir

Pressão de Brizola radicalizou discurso de Jango

Ranieri Mazzilli ocupou a Presidência à espera do primeiro general

Auro de Moura Andrade, à serviço do Golpe, declarou vaga a Presidência

Jarbas e Luiz Henrique falam sobre resistência à ditadura

Firmeza e capacidade de conciliação foram marcas de Tancredo

João Agripino via Jango como ameaça às instituições

1964: pouco antes do golpe, reforma agrária esteve no centro dos debates no Senado

Memórias do golpe: Simon e Figueiró apresentam visões diferentes de 64

Senado terá sessão especial para marcar os 50 anos do golpe de 1964

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: