João Agripino via Jango como ameaça às instituições

Da Redação | 27/03/2014, 20h30 - ATUALIZADO EM 09/01/2020, 17h44

O senador João Agripino, da UDN, participou dos principais debates nos dias que antecederam o Golpe de 1964. O paraibano era ferrenho opositor do governo João Goulart que, nas suas palavras, abrigava “elementos conturbadores, provocadores e agitadores, que pretendem levar o Congresso ao descrédito, pondo em risco o regime democrático”.

Oriundo de uma família tradicional de políticos do sertão paraibano, com ramificações também no Rio Grande do Norte – seu sobrinho é o atual senador José Agripino -, João Agripino ingressou na Arena, partido pelo qual chegou ao governo da Paraíba, em 1965. A partir daí, e até 1982, os governadores estaduais passariam a ser eleitos por via indireta.

Embora aliado dos militares, João Agripino teria se recusado a demitir assessores tidos como comunistas. Conforme afirmou o senador Cícero Lucena, em recente homenagem pelos 100 anos de João Agripino, por mais de uma vez o então governador se insurgiu contra medidas da ditadura, tendo, inclusive feito críticas à escolha de Costa e Silva para a Presidência.

João Agripino foi ministro do Tribunal de Contas. Como o fim do bipartidarismo, filiou-se ao PP, partido que acabou sendo incorporado pelo PMDB. Foi eleito deputado feedral em 1982. Morreu aos 74 anos em 1988.



Relacionadas:

Hotsite da Agência Senado reconta a história de 64

Memórias de 1964: senadores relembram momentos que antecederam o Golpe Militar

Golpe de 1964: o papel desempenhado pelos parlamentares

Filinto Muller serviu a duas ditaduras

Vice-presidente civil foi impedido de assumir

Pressão de Brizola radicalizou discurso de Jango

Ranieri Mazzilli ocupou a Presidência à espera do primeiro general

Auro de Moura Andrade, à serviço do Golpe, declarou vaga a Presidência

Jarbas e Luiz Henrique falam sobre resistência à ditadura

Arthur Virgílio Filho, mesmo derrotado pelos golpistas, manteve oposição à Ditadura

Firmeza e capacidade de conciliação foram marcas de Tancredo

1964: pouco antes do golpe, reforma agrária esteve no centro dos debates no Senado

Memórias do golpe: Simon e Figueiró apresentam visões diferentes de 64

Senado terá sessão especial para marcar os 50 anos do golpe de 1964

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: