Em entrevista a jornal, Simone Tebet analisou crise nos Poderes e outros temas

Da Redação | 08/06/2020, 18h58

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), afirmou nesta segunda-feira (8) que o Senado, a Câmara e o Congresso estão votando ações importantes para o Brasil enfrentar a pandemia e superar a crise econômica e social. A senadora deu como exemplos projetos que destinaram bilhões de reais em recursos para a área de saúde, o auxílio emergencial para a população vulnerável, medidas para ajudar micro, pequenas e médias empresas e a ajuda financeira a estados e municípios.

O balanço foi feito em entrevista à versão brasileira do jornal El País. Simone garantiu ainda ser mínima a possibilidade de, no momento atual, o Brasil passar por uma ruptura institucional ou enfrentar mais um impedimento de presidente da República.

— Eu realmente não vejo, neste momento, risco de ruptura institucional. Mas, sem dúvida nenhuma, estamos diante de um colapso, o sistema político brasileiro está disfuncional, ele não está trabalhando bem — disse.

A senadora afirmou que a parcela da população que vem pedindo intervenção militar no Brasil é de, no máximo, 15%. Enquanto isso, pelo menos 85% de todos os brasileiros defendem a democracia e querem sua manutenção. Para ela, o país está no limite, mas as instituições democráticas estão funcionando e protegendo a democracia, principalmente o Poder Judiciário e o Poder Legislativo têm protegido o estado democrático de direito à luz da Constituição, disse.

Reuniões presenciais

A senadora defendeu, porém, que as reuniões e sessões presenciais do Senado precisam ser retomadas em, no máximo, 30 dias. Mesmo com o Plenário virtual já funcionando há mais de dois meses, ela ponderou que as atividades presenciais do Congresso Nacional podem ser retomadas, desde que todos os cuidados sejam seguidos, com equipes menores e pessoas de grupos de risco permanecendo em teletrabalho. Para a senadora, além da pandemia do coronavírus, o Brasil está enfrentando também uma crise econômica e uma crise político-institucional.

— Eu acho que nós temos que nos preparar para isso porque o Congresso Nacional não pode ficar com as portas fechadas num momento como esse — afirmou.

Impeachment

Sobre uma possível saída do presidente da República, Jair Bolsonaro, por meio de um processo de impeachment, Simone também disse não ver possibilidade de isso acontecer agora. Em sua opinião, Bolsonaro precisar agir para diminuir as tensões entre os Poderes, sendo mais cauteloso em seus gestos e palavras e mais responsável na gestão do país.

Entretanto, ela afirmou que se for comprovado que alguma autoridade pública maquiou ou sonegou informações e dados sobre a pandemia e o número de óbitos, essa pessoa poderia responder por crime de responsabilidade.

Simone Tebet também analisou outros assuntos, como reforma tributária, novo marco legal do saneamento básico, imposto sobre grandes fortunas e o possível adiamento das eleições municipais de 2020.

A íntegra da entrevista pode ser vista pelo YouTube.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h00 Votação de vetos: Foi encerrada a sessão do Congresso para análise de vetos pelos deputados. Colégio de líderes se reúne em seguida para fazer acordo de procedimentos para votação. Nova sessão, com a mesma pauta, foi convocada para as 14h.
10h54 Sessão do Congresso: Começou a sessão remota do Congresso Nacional em que deputados analisam vetos presidenciais e dois projetos de lei. À tarde, será a vez de os senadores votarem a mesma pauta.
Ver todas ›