Veneziano repudia declarações de Bolsonaro contra jornalista da Folha

Da Redação | 18/02/2020, 19h17

Em pronunciamento nesta terça-feira (18), em Plenário, o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) solidarizou-se com a jornalista a Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo, após declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro.  

Veneziano classificou de graves e inaceitáveis as reiteradas declarações sexistas e machistas do presidente. Ele salientou que as atitudes do chefe do Poder Executivo revelam descompostura do ocupante do mais algo cargo da República.

— Ele ultrapassou, em muito, o limite do aceitável. Portanto, aqui eu quero, desta tribuna, não só particularmente à senhora jornalista que foi agredida, que foi provocada com insinuações machistas do presidente da República, solidarizar-me com todos aqueles que fazem a imprensa no nosso país e com própria sociedade — declarou o senador.

Veneziano enfatizou que são gestos que servem de mau exemplo aos subordinados do primeiro escalão do governo, que nos últimos dias fizeram declarações ofensivas e desrespeitosas contra a sociedade.  Ele citou os exemplos recentes dos ministros Abraham Weintraub, da Educação, e de Paulo Guedes, da Economia, aos quais, na sua opinião, falta a compostura que um cargo no Executivo exige.

— O ministro Paulo Guedes agredir uma senhora, esposa de um presidente da República, chamar os servidores de parasitas, falar de forma segregacionista em relação a auxiliares domésticos, dizer que o dólar poderia ser aceito nesses patamares porque, quando estava mais baixo, as empregadas domésticas estavam viajando muito para o exterior: onde já se viu esse tipo de comportamento? Como poderemos aceitar esse tipo de coisas? — disse o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h11 Violência doméstica: Senado aprova o PL 2.510/2020, que obriga moradores e síndicos de condomínios a informarem casos de violência doméstica às autoridades competentes. Texto vai à análise da Câmara dos Deputados.
18h38 Prioridade à mulher: Vai à sanção o PL 2.508/2020, que prioriza a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado a família monoparental. Pelo texto, o recurso só vai para o pai quando comprovada a guarda unilateral do dependente.
17h30 Proteção aos bancos: Senado aprova PLV 21/2020, decorrente da MP 930/2020, que protege os bancos com investimento no exterior da perdas por variação cambial. O texto segue para sanção presidencial.
Ver todas ›