Comissão analisa dedução do IR para doações a conselhos de pessoas com deficiência

Da Redação | 27/11/2017, 16h38 - ATUALIZADO EM 27/11/2017, 16h42

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) analisa nesta quarta-feira (29) proposta que permite deduzir do imposto de renda as doações feitas aos fundos controlados pelos conselhos de direitos das pessoas com deficiência. De autoria do senador Romário (Pode-RJ), o texto estende aos conselhos de pessoas com deficiência a possibilidade já existente para doações aos fundos controlados pelos conselhos estaduais, municipais e nacionais do idoso e das crianças e adolescentes.

O limite de dedução é de 6% do imposto devido. A renúncia de receita estimada pela Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle do Senado é de R$ 20,7 milhões em 2018, R$ 22,7 milhões em 2019 e R$ 25 milhões em 2020. O texto recebeu parecer favorável do relator, senador Paulo Paim (PT-RS).

Também na pauta da CDH proposta de um internauta para criminalizar a homofobia (SUG 28/2017). A iniciativa, do cidadão Lucas Veiga Couto, do Paraná, recebeu mais de 49 mil apoios para se tornar sugestão legislativa — mais do que o dobro dos 20 mil necessários.

A proposta, que prevê punição de pessoas que atacam ou ofendem outras por sua orientação sexual, recebeu parecer favorável da senadora Regina Souza (PT-PI), que apresentou como projeto de lei o texto integral do substitutivo ao PLC 122/2006, aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), mas arquivado ao final da legislatura em 2014.

— É papel da CDH retomar a discussão e, se for o caso, aperfeiçoar o texto da proposição, pois a sociedade nos demanda imediata demonstração de respeito e coragem com relação ao sofrimento do público LGBT — justificou a senadora.

A reunião da CDH está marcada para às 11h, no Plenário 7 da Ala Alexandre Costa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h57 CPI da Pandemia: Ciro Nogueira (PP-PI) disse que o ex-ministro Mandetta mentiu à CPI ao afirmar que o Brasil poderia ter começado a vacinar em novembro passado, pois, no mundo, só foi possível a aplicação da primeira dose em dezembro.
12h43 CPI da Pandemia: O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, deferiu pedido da CPI para realização de testes de covid-19, semanalmente, em senadores, assessores e colaboradores que participam presencialmente dos trabalhos do colegiado.
12h43 CPI da Pandemia: O ministro Marcelo Queiroga disse que vai encaminhar ao Plano Nacional de Imunização (PNI) o pedido de Mara Gabrilli (PSDB-SP) para que pessoas com deficiências e comorbidades tenham prioridade na vacinação contra covid-19.
Ver todas ›