Projeto determina perda de bens usados em exploração sexual de menores

Da Redação | 07/01/2016, 09h49 - ATUALIZADO EM 07/01/2016, 12h55

Projeto que determina a perda de valores ou bens utilizados na exploração sexual de crianças e adolescentes está na pauta do Plenário e pode ser votado após o recesso parlamentar.

De acordo com o texto, que é um substitutivo da Câmara dos Deputados (SDS 11/2015) a proposta originária do Senado, os bens tomados pela Justiça serão revertidos em benefício do Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente do estado onde ocorrer o crime.

O projeto original (PLS 38/2008), do então senador Demóstenes Torres, foi remetido à Câmara em 2008. A proposição altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990), que já estabelece a cassação da licença de funcionamento do estabelecimento utilizado na exploração ou prostituição de menores de idade, além de pena de 4 a 10 anos de reclusão e multa para o infrator.

O relator na Câmara, deputado Efraim Filho (DEM-PB), modificou a proposta para estabelecer que os fundos beneficiados com os recursos sejam os estaduais, e não os dos municípios ou da União.

Ao retornar ao Senado, o projeto foi analisado novamente pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), que ajustou o projeto a regras e exigências legais sobre elaboração de leis. A relatora na CDH foi a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), para quem as alterações tornaram o texto mais harmonioso com “ditames legais e constitucionais”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h53 Supersimples: : Plenário iniciou a discussão da atualização das regras do Supersimples (PLC 125/2015). A intenção é concluir a votação ainda nesta terça-feira.
18h21 Capital estrangeiro na aviação: : A relatora da MP 714/2016, Ângela Portela, opinou contra a participação estrangeira de 100%. Ela condicionou essa possibilidade à celebração de acordos de reciprocidade com outros países.
18h18 Capital estrangeiro na aviação: : Diante de divergências em relação a matéria, a votação da MP 714/2016, que trata da participação de capital estrangeiro na aviação civil, foi adiada para amanhã.
Ver todas ›