Eduardo Lopes faz balanço do mandato e manifesta apoio a Bolsonaro

Da Redação e Da Rádio Senado | 18/12/2018, 18h35 - ATUALIZADO EM 18/12/2018, 18h54

Ao fazer um balanço do seu mandato, o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), destacou ter liberado R$ 310 milhões em emendas parlamentares, principalmente para a área da saúde. Disse que procurou contemplar o maior número possível de cidades, cada uma com seus problemas e todas com muitos problemas.

Eduardo Lopes também ressaltou sua dedicação à promoção de crenças e valores cristãos, tendo proposto uma modificação no Estatuto da Criança e do Adolescente para que o poder público regule a presença de menores em exposições e espetáculos culturais e artísticos. Nesse sentido, também tem apoiado o movimento Escola Sem Partido, para combater correntes antirreligiosas nos estabelecimentos educacionais.

O senador lembrou ter sido favorável ao impeachment da então presidente Dilma Rousseff, por considerar que estavam materialmente comprovadas as pedaladas fiscais das quais era acusada. Eduardo Lopes disse que torce para que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, inicie uma outra forma de fazer política, mais ética e correta, condizente com os valores do povo brasileiro.

— A popularidade do Bolsonaro dá a ele o crédito superabundante para promover as reformas de que tanto necessita o país para que possamos sair da crise e afastar o seu efeito mais doloroso que é o desemprego — declarou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
21h55 Herbicida: Os senadores aprovaram requerimento de debate sobre parâmetros técnicos e regulatórios no processo de reavaliação do herbicida Paraquat (RQS 1.306/2021).
21h47 Violência doméstica: Aprovada a criação do Formulário Nacional de Avaliação de Risco, que deve ser aplicado às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar (PL 6.298/2019). O texto segue à sanção presidencial.
20h49 Assembleias remotas: O Plenário aprovou autorização para a realização de assembleias e decisões remotas por associações, fundações e organizações religiosas (PL 5.546/2020). O projeto segue para análise da Câmara.
Ver todas ›