Adolescência e o despertar para o exercício da cidadania


Rackel Silva Resende

Rackel Silva Resende
  • Colocação no estado: 1ª colocada estadual
  • Ano de participação: 2018
  • Escola: CEPI Polivalente Professora Antusa
  • Cidade: Campos Belos - GO
  • Professor(a): Andra Martins Ribeiro

“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”- Paulo Freire

Pretendo me formar em medicina e me especializar em cirurgia cardiotorácica. Dentre os meus objetivos, quero fazer intercâmbio nos Estados Unidos, aperfeiçoar meu conhecimento em língua estrangeira (inglês e espanhol) e dedicar meu tempo livre a pesquisas científicas, a fim de realizar descobertas nas áreas médicas e poder ajudar um grande contingente de pessoas. Por fim, pretendo ir para os médicos sem fronteiras. Vejo que a minha missão no mundo é usar a minha vida para salvar a vida de outras pessoas. Sempre fui apaixonada pela área médica, em especial, pela cirurgia, e sei que não há nada mais gratificante do que poder ajudar o próximo, e eu irei utilizar a minha profissão para isso.

Nas escolas de período integral, tem-se o projeto “jovem protagonista”, que reúne alunos da instituição que apresentam perfil de liderança e que seja autônomo, solidário e competente para buscar meios de gerar um ambiente melhor, solucionar problemas, além de trabalhar junto aos professores para sanar déficits que estejam em pauta. Além disso, ministro aulas de reforço para colegas da escola e de outras instituições, principalmente, nas áreas de exatas e redação. Também utilizo o meu clube juvenil (disciplina eletiva da escola) e Instagram para troca de saberes, auxiliando aqueles que necessitam, através de resumos, dicas de estudos, disponibilização de materiais e monitorias.

Não sou filiada a nenhum partido político e no momento não pretendo ingressar na vida política, entretanto, é possível que a partir desta experiência em Brasília posso vir a ter uma nova posição sobre o assunto. A meu ver, é necessário maior incentivo aos jovens para estudo e entrada no meio político. Uma vez que é do nosso futuro que se trata, é de integral responsabilidade e dever dos jovens debaterem e participar da política, de conhecerem os projetos de seus candidatos, e cobrar que os mesmos sejam colocados em prática, e, quem sabe, até serem candidatos a cargos eletivos.

Quando penso em inspiração, logo vem à mente o meu pai. Ele é oriundo de uma família pobre, mas mesmo assim nunca abandonou a educação, e foi através dela que conseguiu ascensão. Ao longo do processo tiveram diversas barreiras, ele trabalhava o dia inteiro na fazenda, e a noite, sozinho, ia para escola, porém, nenhum obstáculo conseguiu detê-lo. Desde bem nova ele sempre me ensinou que quando queremos algo, é necessário colocar a cara a tapa e ir à luta. Tanto ele quanto a minha mãe sempre me deram exemplos de garra e perseverança, e sem dúvida alguma é lembrar da história do meu pai, de como ele venceu na vida, que me faz levantar todos os dias com o sangue nos olhos e não desistir, jamais.

A leitura é uma atividade que me completa e que me traz grande prazer. Dessa forma, no meu tempo livre sempre procuro ler alguns livros que fogem à lista obrigatória dos vestibulares (principalmente romances e documentários). Cada um dos livros que li até hoje marcaram a minha vida de algum modo e me transformaram de alguma maneira, portanto, é complicado classificá-los em ordem de importância. Porém, no dia de hoje, o meu livro favorito é o “Eu sou Malala”, que foi escrito por Malala Yousafzai.

De maneira geral, gosto de utilizar meu tempo livre para adquirir conhecimento de maneiras diversificadas, mas também gosto de games (Residente Evill, por exemplo), séries (Dr. House, Grey’s Anatomy, Merlí) de dedicar-me a escrever meu livro, poemas e crônicas, mas também acho legal passar tempo com minha família.

O papel da minha família é de suma importância, visto que me dão pleno apoio para estudar, além de prover os meios necessários. O primeiro concurso de redação que participei, estava no 1º ano do ensino fundamental, foi promovido pela Secretaria de Saúde da cidade em que eu morava (Portelândia - GO), e tinha como tema a importância da amamentação. Foi também a minha primeira grande conquista em concursos, e devo isso a meus pais - Adelício e Alessandra. Desde pequena eles me deram todo o suporte para correr atrás de meus objetivos e conseguir concretizá-los.

Sou uma competidora nata, e tenho grande atração por concursos. Entretanto, com o Jovem Senador foi diferente, pois via que através dele eu teria a oportunidade de fazer algo a mais para mudar o contexto atual da sociedade brasileira. Enxerguei, desde o início, como uma oportunidade de ampliar o meu conhecimento, e de aplicá-lo, de fato, para ajudar outrem.

A minha professora de Português (que já havia ganhado anteriormente o concurso) me incentivou desde o início, mostrando que eu era capaz de conseguir ser classificada, desde que me empenhasse. Recebi todo o apoio da equipe escolar, indo de correção textual, conseguir horários para que eu tivesse um bate-papo com pessoas da área, até a questão da motivação mesmo.  Quando falei com meus pais, eles também me apoiaram bastante, e isso foi de grande relevância.

Quando a equipe de vocês ligou, estávamos em um momento de pronunciamento, no pátio da escola. Assim que recebi a notícia, repassei a meus professores e eles ficaram extremamente eufóricos. A novidade foi anunciada em microfone para toda a escola, e o sentimento que perpetuou foi de extrema felicidade. Alunos e professores chorando e gritando, inexplicavelmente alegres. Para mim, foi algo mágico, realmente não imaginava ganhar o concurso.

CEPI Polivalente Professora Antusa
Diretor:
Jorgiano Rodrigues de Oliveira
Professor orientador:
Andra Martins Ribeiro
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11