CDH aprova criação do Cadastro Nacional de Inclusão da Pessoa Idosa

Da Redação | 13/06/2018, 16h57 - ATUALIZADO EM 18/06/2018, 12h56

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quarta-feira (13) a criação do Cadastro Nacional de Inclusão da Pessoa Idosa, um banco de dados informatizado que reunirá informações de todas as políticas públicas voltadas aos idosos e os dados coletados em censos relacionados ao público dessa faixa da população (PLC 170/2017). A matéria segue agora para a análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

De autoria da deputada Leandre (PV-PR), o projeto acrescenta dispositivos ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003) para permitir a coleta, o processamento e a sistematização de informações, inclusive georreferenciadas, que permitam a identificação e a caracterização socioeconômica da pessoa idosa e quais dificuldades elas enfrentam para exercer plenamente seus direitos.

O objetivo, segundo a autora, é mapear o número de idosos e registrar dados que auxiliem o Estado brasileiro a cumprir o que determina a Constituição, ampliando o conhecimento sobre como vivem os idosos, para assegurar a eles todos os direitos necessários a uma vida digna.

O cadastro será administrado pelo Executivo Federal e os dados poderão ser utilizados para formular, gerir, monitorar e avaliar políticas públicas para a pessoa idosa; identificar as barreiras que impedem o alcance e usufruto de seus direitos e fazer estudos e pesquisas. O texto assegura que os dados colhidos serão obtidos e disponibilizados resguardando-se o direito à privacidade dos cidadãos. Também serão aferidos e elencados os dados sobre as instituições de longa permanência para idosos - os asilos - em funcionamento no país.

O relator da matéria na comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), disse que a ideia poderá contribuir para melhorar as condições de vida dos idosos.

- Esta proposição traz, em sua simplicidade, uma grande solução, que certamente terá efeito multiplicador nas políticas públicas de atenção à população idosa – afirmou.

Bolsistas

A CDH também começou a discutir o projeto do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) que equipara os bolsistas das escolas beneficentes de assistência social aos estudantes das escolas públicas na reserva de vagas (PLS 197/2018) para ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. O senador Paulo Paim leu o relatório da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), mas diante de um pedido da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) foi concedida vista coletiva.

Audiências

A comissão aprovou ainda uma série de requerimentos para a realização de audiências públicas. Conforme sugestão do senador Paulo Paim, serão debatidos o serviço estatal e o transporte público no Brasil. Já a presidente da comissão, senadora Regina Sousa (PT-PI), propôs uma audiência pública para debater a paralisação da demarcação de terras indígenas em Tocantins e outra para tratar do Atlas da Violência de 2018. Ainda não foram definidas as datas dos debates.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
14h15 Agente indígena de saúde: Comissão de Direitos Humanos aprovou o Projeto de Lei do Senado 184/2018 que especifica as atribuições de Agente Indígena de Saúde e Agente Indígena de Saneamento. A matéria segue para análise da Comissão de Assuntos Sociais.
12h59 Ride da Metade Sul (RS): A Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) aprovou o PLS 129/2018, que autoriza o Executivo a instituir a região integrada e o Programa Especial de Desenvolvimento da Metade Sul do Rio Grande do Sul. Matéria vai a CAE.
12h00 Convenção Brasil e Argentina: CRE aprovou Projeto de Decreto Legislativo 70/2018, que altera a convenção Brasil e Argentina para evitar a dupla tributação e prevenir a evasão fiscal entre os dois países. A matéria segue para o Plenário.
Ver todas ›