Airton Sandoval critica empresas aéreas e cobra fiscalização da Anac

Da Redação e Da Rádio Senado | 27/02/2018, 16h38 - ATUALIZADO EM 27/02/2018, 17h15

O senador Airton Sandoval (PMDB-SP) criticou nesta terça-feira (27) os preços cobrados pelas empresas aéreas e a falta de controle deste serviço pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo ele, uma passagem de Brasília para São Paulo comprada com um mês de antecedência pode ser encontrada por R$ 300. Já no dia da viagem, o valor do mesmo voo sobe para R$ 1.800.

Sandoval lamentou também que as empresas queiram cobrar a mais pela marcação de assentos no voo. De acordo com o senador, o mecanismo da liberdade tarifária presente no Brasil dá às companhias o direito de trabalhar pelo lucro, mas sem o que ele chamou de "selvageria".

O senador disse que o preço máximo a ser cobrado por uma passagem aérea deveria ficar limitado ao dobro do preço mais baixo. Ele ainda lamentou que as empresas aéreas brasileiras estejam endividadas e prestem informações desencontradas sobre o seu real patrimônio líquido. Para Sandoval, a Anac deveria ter uma melhor gestão e auditar estes dados.

— Num setor oligopolizado como a aviação civil no Brasil, onde duas empresas controlam mais de 70% do mercado, a agência reguladora não tem cumprido com firmeza seu papel de fiscalizadora. Será que precisaremos de uma fiscalização na Anac? Chega a ser uma ironia!

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)