Secretaria de Controle Interno do Senado completa 45 anos

Da Redação | 09/11/2017, 17h35 - ATUALIZADO EM 09/11/2017, 17h37

A Secretaria de Controle Interno do Senado Federal (SCISF) comemorou nesta quarta-feira (9) os 45 anos da atividade de auditoria. O presidente da Casa, Eunício Oliveira, esteve na cerimônia e lembrou fatos que marcaram a trajetória do órgão. Ele frisou que todas as contas do Senado têm sido julgadas regulares e sem ressalvas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) desde 1969.

— Por causa do trabalho dos auditores, o Senado foi a primeira instituição do país a prestar contas desde a Constituição de 1967 — afirmou o presidente, ressaltando a presença no evento de Jorge Paiva do Nascimento, primeiro auditor do Senado, hoje com 92 anos.

Segundo Eunício, o trabalho dos servidores pioneiros na área, que desde 1972 conta com o cargo de auditor, fez com que o controle interno efetivamente acontecesse no Senado, auxiliando a Casa a alcançar o bom uso dos recursos públicos e a lisura de seus contratos. O senador afirmou que a secretaria trabalha com objetividade técnica e independência administrativa para garantir excelência e eficiência da governança corporativa.

— Destaco a imparcialidade, a técnica e a transparência com que os servidores, de formação qualificada e multidisciplinar, orientam a Mesa do Senado na gestão de riscos — disse Eunício, ao salientar a parceria da secretaria com a administração da Casa.

O diretor da SCISF, Eduardo Pereira, explicou que a atividade de auditoria visa auxiliar e assessorar as equipes para promover o trabalho do Senado. Quando convidado para assumir o cargo, ele disse ter feito questão de enfatizar a importância do diálogo com gestores, Advocacia, Consultorias e a área administrativa, para realizar um trabalho em benefício da sociedade.

— Garantir o bom uso dos recursos públicos, dinheiro do contribuinte brasileiro, é o resultado do trabalho de auditoria. Neste evento, desejo que tenhamos boas ideias para juntos dar as mãos e fazer o Brasil melhor — concluiu o diretor.

Homenagem

O presidente do TCU, Raimundo Carreiro, revelou que a auditoria do Senado, sua Casa de origem, foi criada quando ele já era servidor havia cinco anos. Ele fez um histórico sobre o papel do então senador Petrônio Portella, que estava à frente dos trabalhos quando a atividade de auditoria foi iniciada, obtendo prestígio, mas também enfrentando desafios.

— Os servidores daquela época, dentre os quais alguns que foram diretores da área se encontram aqui para serem homenageados, tiveram zelo, competência e dedicação para fortalecer o órgão no Senado — disse Carreiro, que também narrou ações adotadas em sua gestão no TCU para incrementar a auditoria, garantir autonomia e adotar padrões internacionais da área.

O primeiro-secretário da Casa, senador José Pimentel (PT-CE), afirmou que a secretaria ajuda o Senado a evitar erros e avalia ser preciso apoiar e estimular ao órgão para assegurar mais transparência, controle e economia nos recursos públicos. Ele mencionou o quanto o trabalho de auditoria auxilia as instituições, como ocorreu quando ocupou o cargo de ministro da Previdência, na organização e supervisão da gestão.

— A presença neste evento de diversos representantes das áreas do Senado, inclusive a minha como representante da Mesa, denota que são exemplos de servidores públicos estes que trabalham na Secretaria de Controle Interno — afirmou.

O evento 45 anos da Auditoria: Uma trajetória de desafios e transformação também teve a participação do diretor-executivo do Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), Helder Rebouças, e do ministro do TCU Weder de Oliveira, que proferiu a palestra “A atividade de auditoria como fator de indução de excelência e eficiência na governança e gestão pública”. O dia de atividades contou ainda com palestras dos auditores do TCU Jetro Coutinho e Daniel Jezini, além de exposições técnicas dos coordenadores da SCISF.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)