Adolescência e o despertar para o exercício da cidadania


Claudecy Alves dos Santos

Claudecy Alves dos Santos
  • Ano de participação: 2019
  • Cidade: Bacabal - MA
  • Escola: Colégio Militar Tiradentes III
  • Formação: Mestre em Letras
  • Estudante finalista: Cibele Loiola Coelho Dias
  • Redes Sociais:

Entrevista

Pergunta - Há quantos anos leciona?

Resposta – Há 14 anos

P - Como foi a sua experiência em participar do Projeto Jovem Senador?

R – Foi uma experiência única. Todos os anos já espero o lançamento do concurso Jovem Senador para saber a temática e levá-la até os alunos no intuito de sensibilizá-los sobre a importância do evento. E neste ano, conseguimos discutir um pouco sobre a tema. Os alunos gostaram e aceitaram o desafio. A temática do concurso foi interessante, pois está muito presente em nossas vidas, logo eles precisariam de pesquisas para que aprofundassem no assunto. Como, no momento, sou o professor de redação de boa parte das turmas da escola, e consequentemente, da turma da Cibele, 3ª Série do Ensino Médio, propus a eles tal desafio.  

P - Como trabalhou o tema na sala de aula?

R – Levei para a sala de aula a temática, questionei a eles se sabiam o que seria orçamento público. Se eles sabiam que existiam plataformas para acompanhar os recursos que são direcionados aos governos, como o portal da transparência. Houve muitas perguntas interessante, discussões e debates. Direcionei uma pesquisa para que pudessem saber mais um pouco sobre o assunto.

P - O Projeto Jovem Senador contribuiu para a formação dos seus alunos?

R – Claro que sim. Primeiramente, por discutir temáticas que são comumente direcionadas a adultos. E eles se sentiram no dever de discuti-las, já que são afetados diretamente por questões econômica, política e social que o Brasil vivencia, que tais problemas também estão correlacionados aos recursos aplicados ou não em seu município, necessariamente, isso ocorre também na educação. Conseguiram enxergar que é importante participar, mobilizar-se em assuntos de interesses da população de forma geral.

P - Teve alguma dificuldade para participar do Projeto?

R – Não, porque já gosto de participar e envolver os alunos nos projetos de concurso de redação, de modo que também é uma forma de prepará-los para a produção textual dos vestibulares e, no caso do ENEM. Além de trazer uma temática atual. A escola, por exemplo, no início do ano, já coloca como uma das ações a serem realizadas durante o ano. Por isso, ela nos dá o apoio necessário.

P - O que acha do site do Jovem Senador? Conseguiu encontrar as informações que precisou?

R – Sim. O site é interessante. Fiz uma exploração, principalmente nas notícias e nos próprios eventos do concurso já realizado pelo Senado. Mostrei a eles o livro que consta os vencedores de edições passadas. E apresentaram-se empolgados em ver tantas pessoas indo até Brasília conhecer o Senado.

P - Como foi o trabalho na escola e a repercussão da classificação de seu aluno para o projeto?

R – Os alunos discutiram muito a temática, participaram bastante das atividades. Para se ter noção, temos três turmas da 3ª série do Ensino Médio e todos os alunos destas turmas fizeram sua produção textual. Foram feitas as leituras das redações. Cada aluno lia sua própria redação para os outros e alguns teciam comentários sobre o texto lido. Criticando ou elogiando, e a redação da Cibele foi uma das mais elogiadas. Quando saiu o resultado, foi muita alegria e satisfação imensa em ter uma aluna classificada para um evento tão importante como este, uma vez que fizemos durante o ano todo um trabalho voltado para muitas produções textuais.

P - Participa ou já atuou em outros projetos voltados para a educação do jovem brasileiro?

R – Sim. O ENEM é um projeto que possibilita a eles ingressar em curso superior. Assim como outros vestibulares. A redação, nesses vestibulares, é um peso enorme. Em meio a isso, a escola realiza feiras culturais, projetos interdisciplinares de visita aos lixões, “pedalaço” (evento que os alunos andam de bicicleta para valorizar o exercício físico).  

P - Com base em sua experiência de vida, deixe um conselho/dica para os seus alunos.

R – Acreditar. Acreditar, porque todos nós somos capazes, se propomos algo em nossas vidas, que corramos atrás. A escola é um desses caminhos que tornará essa viagem mais segura, e é nela que devemos acreditar, pois ela deve ser sempre um ambiente de transformação social, de transformação de vidas.

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211