Coronavírus: senadores usam rede social para divulgar medidas de prevenção

Da Redação | 27/02/2020, 17h25

Depois do primeiro registro de coronavírus no Brasil, na última terça-feira (25), os senadores usaram o Twitter para divulgar medidas que podem evitar o contágio da doença. O senador Luiz do Carmo (MDB-GO) disse que o importante neste momento é ter calma. Segundo o senador, o Ministério da Saúde tem estratégias para enfrentar a situação, e as medidas cabíveis já estão sendo tomadas.

— Vamos ser confiantes! Felizmente [o primeiro caso] foi identificado no início e as pessoas próximas do paciente já estão em observação — ressaltou.

Alvaro Dias (Podemos-PR) observou que, após a notícia do primeiro caso no Brasil, as reações negativas foram rapidamente registradas no mercado financeiro, com o dólar chegando a cotações acima de R$ 4,40. Ele destacou que medidas simples, porém bastante eficazes, como lavar as mãos com sabão após usar o banheiro, sempre que se chegar em casa ou antes de manipular alimentos, podem ajudar na proteção contra o coronavírus.

Para Eduardo Braga (MDB-AM), informação é a arma mais importante contra essa epidemia. Marcos do Val (Podemos-ES) lembrou os principais sintomas da doença: febre, tosse e dificuldade para respirar. Izalci Lucas (PSDB-DF) anunciou uma “Live” para esta quinta-feira (27), às 19h30, quando vai receber o infectologista André Bom para tratar de prevenção e sintomas de doenças virais — como coronavírus, dengue e outras.

O senador Marcelo Castro (MDB-PI), médico e ex-ministro da Saúde, também lembrou medidas que podem evitar o contágio. O senador, no entanto, alertou os seguidores para evitar “compartilhar mensagens que causem pânico na população, sobretudo se você não tem certeza de que não se trata de fakenews”. Major Olimpio (PSL-SP) ressaltou a importância da prevenção com doenças contagiosas, em especial o coronavírus.

— Saúde pública, saúde para todos acima de tudo! — defendeu o senador no Twitter.

Propostas

No início de fevereiro, o Senado aprovou o projeto (PL 23/2020) que regulamenta as medidas que devem ser adotadas pelas autoridades sanitárias em caso de emergência de saúde pública provocada pelo coronavírus. Entre outros pontos, o texto prevê isolamento, quarentena e fechamento de portos, rodovias e aeroportos para entrada e saída do país. Algumas dessas medidas já foram adotadas com os brasileiros que vieram da China e ficaram em uma base aérea em Anápolis (GO). Eles foram liberados no último dia 23, após 14 dias de isolamento.

Também está em tramitação no Congresso a medida provisória que abre crédito extraordinário, em favor do Ministério da Defesa, no valor de R$ 11 milhões (MP 921/2020). O dinheiro se destina às ações de “Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional Decorrente do Coronavírus”.

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) já aprovou a realização de audiência pública com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para discutir as medidas adotadas pelo governo federal na prevenção do coronavírus em território brasileiro. O requerimento para a audiência, que ainda não tem data confirmada, é de autoria da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA).

coronavirus2

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)