Em discurso no Congresso, Bolsonaro pede união e promete esforço na economia

Da Redação | 01/01/2019, 16h25 - ATUALIZADO EM 01/01/2019, 19h29

União do povo brasileiro, compromisso de rigor econômico e defesa de temas ligados à religião e à família. Esses foram os principais temas do discurso do presidente Jair Bolsonaro durante a cerimônia de posse no Congresso Nacional, na tarde desta terça-feira (1º). Em pouco menos de 10 minutos, o presidente recém-empossado passou por vários temas para apontar as prioridades de seu governo.

Bolsonaro agradeceu a Deus por estar vivo e a atenção dos profissionais do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG), onde sofreu um atentado no início do mês de setembro, durante a campanha eleitoral. Ele fez também um agradecimento aos brasileiros por sua eleição e disse que tomava posse “fortalecido e emocionado”. Bolsonaro reconheceu estar diante de um momento de “grandes desafios e de enorme esperança” e pediu o apoio dos congressistas na missão de “reerguer a nossa pátria”.

- Temos diante de nós uma oportunidade única de reconstruir o país e resgatar a esperança dos nossos compatriotas – declarou o presidente.

União

Bolsonaro disse que seu governo vai trabalhar pela união do povo, pela valorização da família e pelo respeito às religiões, destacando a tradição judaico-cristã do Brasil. Ele ainda prometeu combater a ideologia de gênero e o viés ideológico nas ações de governo e reafirmou seu compromisso de construir uma sociedade sem discriminação ou divisão.

- Uma das minhas prioridades é proteger e revigorar a democracia brasileira – afirmou.

Segundo o presidente, seu governo terá o compromisso com o cidadão que sonha com bons empregos, saúde e educação de qualidade, além de infraestrutura e saneamento básico. Bolsonaro também afirmou que o cidadão de bem merece dispor de meios para se defender. Ele pediu o apoio do Congresso Nacional para as ações policiais, prometeu mais estrutura para as Forças Armadas e indicou que a política externa vai trabalhar com foco na “soberania do Brasil”.

Economia

Na área econômica, Bolsonaro disse que seu governo se pautará pela confiança, pelo livre mercado e pela eficiência. Ele garantiu que o governo não gastará mais do que arrecada e respeitará os contratos. Também prometeu reformas estruturantes para garantir a sustentabilidade das contas públicas e sinalizou o protagonismo do setor agropecuário, que será valorizado “em harmonia com a preservação do meio ambiente”. O novo presidente da República ainda pediu um pacto nacional entre a sociedade e os Poderes constituídos, na busca de novos caminhos para o Brasil;

- Hoje começamos um trabalho árduo, para que o Brasil inicie um novo capítulo de sua história. Tenho a missão de representar o povo brasileiro. Com a benção de Deus, com o apoio da minha família e com a força do povo, trabalharei incansavelmente para que o Brasil se encontre com o seu destino e se torne a grande nação que todos queremos. O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos – concluiu, usando o slogan de sua candidatura.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h35 Defensor Público Geral: Aprovada em segundo turno, vai à Câmara a PEC 31/2017, que confere legitimidade ao defensor público-geral federal para propor Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) e Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC).
18h18 Defensor Público Geral: Plenário aprovou em primeiro turno a PEC 31/2017, que permite que o defensor público-geral federal proponha Ação Direta de Inconstitucionalidade e Ação Declaratória de Constitucionalidade junto ao Supremo.
Ver todas ›