Hélio José avalia como positivo ano da Comissão Senado do Futuro

Da Redação | 20/12/2018, 15h34 - ATUALIZADO EM 20/12/2018, 16h26

Na tarde desta quinta-feira (20) o senador Hélio José (Pros-DF), presidente da Comissão Senado do Futuro, avaliou como bastante produtivo o ano de 2018. O senador estacou o que chamou de parceria com universidades e outras organizações da sociedade civil para a realização de audiências públicas e agradeceu o apoio de servidores e outros senadores no trabalho da comissão.

— A cada ano que passa, a Comissão Senado do Futuro passa a ter mais importância. Foi uma honra ser presidente desta comissão, que tem um papel de orientação para o Senado — afirmou o senador.

Audiências

O ano da comissão foi marcado pela promoção de várias audiências públicas, em que foram debatidos temas relevantes para o Parlamento e para a sociedade. Serviço público, energia solar, preservação do meio ambiente, coleta de lixo e recursos hídricos estiveram entre os temas das reuniões.

— A conclusão é que o poder público precisa agir logo, com regras claras de proteção de mananciais e limites na construção de novos reservatórios — disse Hélio José, que ainda defendeu o uso racional da água.

Em maio, a comissão promoveu uma audiência pública sobre a segurança nos estádios. Entre outras sugestões, os debatedores apontaram a elaboração de um cadastramento biométrico dos integrantes das torcidas organizadas como uma importante medida de segurança.

Outra audiência promovida pela comissão, em agosto, debateu a questão do assédio moral no ambiente de trabalho. Os convidados sugeriram duas medidas: a criminalização do assédio moral e o reconhecimento do sofrimento de assédio como uma doença do trabalho. Também em agosto, a CSF discutiu a mobilidade urbana. Já em setembro, a comissão promoveu um debate sobre a democratização dos meios de comunicação.

CSF

Para o senador Hélio José, a CSF nada deve a outras comissões do Senado. Ele disse que a comissão tem o importante trabalho de instruir projetos para outros colegiados. Ao contrário das outras comissões, a CSF não aprova projetos. Com 11 titulares e 11 suplentes, a comissão tem a tarefa de promover discussões sobre grandes temas e o futuro do país, bem como aprimorar a atuação do Senado nessas questões.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)