Walter Pinheiro se despede do Senado destacando atuação em telecomunicações e energia

Da Redação | 19/12/2018, 12h31 - ATUALIZADO EM 19/12/2018, 13h25

O senador Walter Pinheiro (sem partido-BA) se despediu do mandato de senador na manhã desta quarta-feira (19). Técnico em telecomunicações, ele comentou uma de suas principais bandeiras no Senado: a construção de leis para a área de ciência e tecnologia. O senador atuou na elaboração de propostas sobre banda larga e tecnologia da informação. Participou da Lei de incentivo à Informática (que teve versões aprovadas em 1991, 2001 e 2014), da Lei Geral de Telecomunicações (Lei 9.472, de 1997) e do Marco Civil da Internet (Lei 12.965, de 2014).

Ele elogiou o trabalho dos senadores numa nova perspectiva de matrizes energéticas e citou o avanço na produção de energia eólica, mas disse que linhas de transmissão ainda são necessárias. Por outro lado, Walter também citou questões de caráter regional, da agricultura familiar nordestina, da economia dos municípios e políticas de convivência com a seca.

— Matérias importantes foram discutidas para chegarmos a uma postura capaz de mudar o ordenamento jurídico levando em conta as diferenças dos estados.

Relembrando os grandes debates, ele lamentou a falta de consenso sobre renúncias fiscais.

— Batemos na trave, chegamos perto, quase à unanimidade do Confaz [Conselho Nacional de Política Fazendária]. Na proposta trabalhada pelo Senado e com o governo, conseguimos escrever duas peças com 26 [das 27] unidades da federação, mas uma birra política e a inabilidade de alguns membros do governo jogou por terra a possibilidade de unificar o ICMS, consolidar as questões de perdas e trabalhar com os recursos do projeto Repatriar (que permitiu trazer de volta ao Brasil recursos de depósitos em outros países).

Debate

Ele disse que o número de projetos apresentado por um parlamentar não é o que mede seu desempenho, mas a qualidade da discussão de cada matéria. Sobre o trabalho futuro do Senado, Walter Pinheiro aconselhou:

— É preciso parar de aprovar leis todos os dias. O que precisamos é de revogar as que não funcionam e cumprir as que precisam ser cumpridas.

Vários senadores parabenizaram Walter pelo mandato. Os dois companheiros na bancada baiana, Otto Alencar (PSD) e Lídice da Mata (PSB), comentaram a atuação do colega na política.

— O senador Walter contribuiu com o Partido dos Trabalhadores e todos os avanços sociais, mas seu nome nunca surgiu nos momentos de crise do PT. Você andou corretamente dentro da ética, da honra e da dignidade, por isso eu te reverencio como um homem de bem e de fé retilínea — afirmou Otto.

Lídice destacou a caminhada junto a Walter Pinheiro desde o movimento estudantil, depois no movimento sindical, no parlamento e como candidatos à prefeitura de Salvador na mesma chapa. Ela falou da importância do trabalho dele em prol da ciência e da tecnologia e, mais recentemente, para organizar a educação pública baiana (Pinheiro foi secretário de educação do estado).

— O senhor tem dado uma contribuição imensa ao governo da Bahia sistematizando uma educação de qualidade para os filhos do nosso estado — disse Lídice.

Futuro

Walter Pinheiro decidiu não concorrer a novo mandato nas eleições de outubro. Filho de ferroviário, numa família sem laços e tradição política, Walter falou sobre a mulher, os filhos e netos. Lembrou os ensinamentos da mãe, de extrair das pessoas o melhor e tratar a todos com respeito.

— Eu sei de onde eu vim — disse, emocionado.

Contou sobre a fé da família e agradeceu a Deus a oportunidade de ter um mandato em nome do povo da Bahia.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
11h18 Novos embaixadores: Comissão de Relações Exteriores (CRE) aprovou as indicações de Carlos Alberto Simas Magalhães para o cargo de embaixador em Portugal e Luís Fernando de Andrade Serra para a embaixada da França.
10h45 CMO ouve ministro: Começou, há pouco, audiência com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para tratar das contas do Sistema Único de Saúde (SUS) nos últimos meses na Comissão Mista de Orçamento.
10h33 CMO adiada: A Comissão Mista de Orçamento suspendeu a reunião deliberativa prevista para hoje e remarcou para a próxima terça-feira (25), quando deve ser analisado o parecer sobre a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020.
Ver todas ›