Humberto Costa diz que recursos de venda do pré-sal poderão mitigar fim do Mais Médicos

Da Redação | 21/11/2018, 19h52

O senador Humberto Costa (PT-PE) defendeu em Plenário, nesta quarta-feira (21), a aplicação em saúde e educação dos recursos que serão disponibilizados após a aprovação do projeto que acaba com a cessão onerosa no pré-sal (PLC 78/2018).

De acordo com o senador, a destinação de pelo menos 50% do montante destes recursos para estados e municípios seria fundamental para uma retomada equilibrada da economia brasileira.

Metade desse dinheiro seria encaminhado para a educação e para a saúde, especialmente em um momento em que nós vamos passar por mais turbulências nessa área, com o desmonte de mais de 8,5 mil equipes de saúde da família, dada a expulsão dos médicos cubanos provocada pela ruptura do acordo internacional com Cuba por parte do Presidente eleito” — disse.

Destacando o fato de que Pernambuco deverá perder mais de 400 médicos com a decisão do governo cubano de deixar o programa, Humberto Costa lembrou que o futuro ministro da Saúde do presidente eleito Jair Bolsonaro foi contra a implantação do programa Mais Médicos.

General Augusto Heleno

No mesmo pronunciamento, Humberto criticou o general Augusto Heleno, futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Bolsonaro, por ter afirmado, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que o Nordeste é o “centro da roubalheira no país.

— Lamentavelmente, o próprio general não pediu desculpas. E é uma afronta que um governo que nem começou trate dessa maneira uma região onde vive um quarto da população brasileira, homens e mulheres reconhecidos pela sua capacidade de trabalho e, sobretudo, de resistência às imensas adversidades em que vivem. Essa declaração lamentável precisa ser imediatamente reparada antes do início de qualquer diálogo — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)