Humberto Costa acusa governo de descaso com a vacinação de crianças

Da Redação e Da Rádio Senado | 26/06/2018, 19h12 - ATUALIZADO EM 27/06/2018, 12h30

O senador Humberto Costa (PT-PE) acusou nesta terça-feira (26) o ex-ministro da Saúde, Ricardo Barros, por utilizar, no Paraná, R$ 500 milhões de sobras do orçamento do ministério da Saúde, para viabilizar sua candidatura ao senado.

Enquanto o ex-ministro usou dinheiro da Saúde para promover a sua campanha, continuou o senador, 2017 foi o ano com o pior índice de vacinação de bebês e crianças nos últimos 16 anos.

Dados do Programa Nacional de Imunização mostram que, nesse período, pela primeira vez a aplicação de todas as vacinas indicadas aos menores de um ano ficou abaixo da meta definida pelo ministério da Saúde, que é de 95%, lamentou Humberto Costa.

Entre as vacinas com redução de cobertura, informou o senador, estão poliomielite, sarampo, varicela, caxumba, rubéola, difteria, rotavírus e meningite.

— Eu espero que esse governo tome uma medida séria para garantir que, no Brasil, nós voltemos a ter os índices de vacinação, a cobertura de vacinação que nós já tivemos anteriormente. E não venhamos a submeter as nossas crianças, os nossos idosos, os nossos jovens ao risco de serem acometidos por doenças que nós pensávamos que faziam parte da história sanitária do Brasil.

As críticas de Humberto Costa ao descaso com a saúde vão além da imunização de crianças e bebês. Ele também apontou ainda o fechamento de 400 farmácias populares e a proibição de abertura de novas faculdades de Medicina.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)