Ana Amélia afirma que houve avanços e retrocessos desde as manifestações de junho de 2013

Da Redação | 13/06/2018, 15h53 - ATUALIZADO EM 13/06/2018, 17h21

A senadora Ana Amélia (PP-RS) disse nesta quarta-feira (13) em Plenário que o país experimentou avanços e retrocessos depois das manifestações de 2013 pelo fim da corrupção, pela reforma política, pela responsabilidade nos gastos públicos e por melhorias em mobilidade urbana.

Para ela, um retrocesso foi a decisão do Supremo Tribunal Federal de barrar a impressão do voto nas eleições deste ano. Como avanço, Ana Amélia destacou a prisão de dois ex-presidentes da Câmara dos Deputados e de empresários envolvidos em escândalos de corrupção.

A senadora também citou projetos que passaram a ser analisados pelo Congresso Nacional nesse período.

Como exemplo, disse Ana Amélia, houve a aprovação do projeto que responsabiliza e multa empresas por prática de corrupção e da proposta de emenda constitucional que acabou com o voto secreto para cassação de deputados federais e senadores e para análise de vetos presidenciais.

— Há cinco anos também houve a defesa da necessidade de incluir a corrupção dolosa no rol dos crimes hediondos, acrescentando penas severas. Ainda em 2013, o senado aprovou o projeto que torna a corrupção crime hediondo. Cinco anos depois, a proposta não foi ainda analisada pela Câmara dos Deputados.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)